quarta-feira, 10 de setembro de 2008

Run For Life - A corrida em minha vida!







Valdomiro Cocato chegou na Run For Life em 1988, pelas passadas do médico Carlos Rocia,que na época fazia parte da equipe. "Para mim a corrida significava a entrada em um outro "mundo", um mundo de disciplina e determinação que acaba melhorando a qualidade de nosso dia-a-dia."

Para Dodô, o melhor é a união das pessoas, “correr em equipe é fundamental, as vezes queremos parar e desistir, é o grupo que nos mantém saudáveis de corpo e espírito! Sou admirador da querida Srª Mitiko, do Jacob, Sr. Oswaldo Silveira e do amigo Joaquim(do SPFC).Todos eles já passaram dos 70 anos esbanjando vigor atlético. Valorosas também são as moças e srªs que correm em nossa equipe, evoluem com muita raça e determinação, quando conto para os leigos o que todos da equipe fazem... Quase sempre não acreditam.. Só ver para crer mesmo!”

A Jovialidade está sempre viva, descobri a corrida após os 45 anos
Cocato, no alto de seus 67 anos é um campeão, não somente na velocidade e na resistência, mas, em carinho e atenção ao grupo da Run for Life. Ele é um querido amigo de todos. Dodô, um experiente atleta, dá a impressão que saiu correndo do bercinho, corre desde criança. Na verdade Dodô é um jovem corredor, corre há mais de 20 anos. "Comecei correr aos 45 anos..." disse Cocato com o brilho nos olhos de quem tem 15 anos. Dodô foi jogador de futebol, semiprofissional. "Joguei em todos os estádios de futebol de São Paulo, menos no Morumbi, pois ainda estava em construção" Observou o São Paulino de coração.

A corrida veio para Dodô como indicação de saúde, sem perceber aplicou uma técnica certeira, começou correndo 10 minutos, e foi aumentando no decorrer das semanas. Quem o vê, hoje com seus 65 quilos, não imagina que um dia Dodô passou dos 80 quilos. “Resolvi correr para emagrecer, pois, percebi que tinha engordado muito, fato que acomete esportistas quando param de praticar.Quando consegui correr 20 minutos a família comemorou!" Explicou sorrindo.

Em 1987 Dodô estreou na São Silvestre. “A chegada Foi uma emoção indescritível, ainda era a noite e em sentido contrário, um momento de encanto e beleza, inesquecível !

Conquistas na Rua e na Pista
Dodô já participou de mais de 350 provas oficiais, a maioria de 10 km. Ele diz que entre treinos e corridas já correu mais de 60.000 kms, o que equivale a dar mais de 10 mil voltas no Parque do Ibirapuera ou ir e voltar 10 vezes até Salvador/BA. O veterano guarda no coração o momento da conquista da 3ª colocação na categoria da Meia Maratona de Internacional de Buenos Aires. "Foi em 2002, fiz o tempo de 1h 29:06. “Foi um momento mágico junto com João Ambrosano e sua esposa. Juntos nos emocionamos na chegada misturando lágrimas com as gotas da chuva que caiam.”

Nas competições estaduais de veteranos, Dodô, sempre está os três primeiros da categproa. É um freqüentador dos pódios. O experiente atleta da uma dica aos novatos. “Paciência, Paciência... paciência.. aprenda primeiro a escutar seu corpo, depois vai aumentando o ritmo de treinamento, sempre orientado pelo técnico. O importante é respeitar a seqüência: Trabalho, Família e lazer e nunca se esqueça .. a empolgação leva a lesão!

Treinos preferidos
Tem gosto para tudo e Dodô é um desses, ele adora os tiros de 100 metros em rampa e também dos tiros de 200 metros na pista. "Adoro a velocidade, esses tiros nos preparam bem para isso, já experimentei e funciona mesmo! Dodô revela que ao mirar a reta final, força bastante, próximo ou ao limite, pois sabe que os concorrentes farão o mesmo. “É muito ruim perder na chegada, prevalece quem está melhor preparado tenho dado sorte!!”

Quando começou a correr, Dodô se assustou com a primeira prova, não é pra menos, foi escolher logo uma maratona?! Foi a do Rio de Janeiro, “até hoje acho irracional, é uma distância exaustiva demais assim como os treinamentos para tal. Por isso prefiro as provas até 10 Km.” Dodô tem um sonho, um dia correr a meia-maratona de Milão, quanto a uma maratona, ele confessa: “Fiz a primeira e não gostei! Talvez um dia... quem sabe, ainda é cedo!”. Brinca o atleta.

Relógio nas pernas e amigos veteranos
Um dos fatores mais importantes que Dodô faz questão de lembrar é a concentração no dia da prova. "Correr é uma ciência, quase matemática, cada corrida é única, temperatura, umidade do ar etc. Quando se corre em nível competitivo é preciso ser ritmado, com um relógio nas pernas e muita atenção, pois um descuido a corrida já era. Amigos são sempre amigos, mas em competições tudo é diferente, sou um competidor. Procuro fazer sempre o meu melhor, a competição não é apenas uma superação física, mas também mental.”

Um dia de Dodô, livro, música, cachorros...
Dodô mora só e se vira nas atividades domésticas. Desperta antes das quatro horas, se alimenta e caminha um quilômetro para pegar o ônibus que lhe deixa próximo ao Ginásio do Ibirapuera. Dodô na verdade é um discípulo de São Francisco, carrega sempre em sua mochila de treino, um pouco de ração para cães e gatos de rua que encontra pelo caminho. "Eles já esperam por mim no caminho... todos os dias. Fico triste com o abandono, esses animais sofrem como a gente, sentem dor também.. são muitos que encontro e alimento, as vezes socorro e levo para veterinário e entidades que cuidam e salvam essas almas que só sabem agradecer e abanar o rabo de alegria. Há mais humanos irracionais do que imaginamos, é só ver como tratam os animais e os abandonam nas esquinas e ruas. . Fã de contos e poesia, Dodô indica o livro, "Marley e Eu" de John Grogan - É a vida e o amor de uma família e um labrador muito sapeca.

Em dias de rodagem Dodô faz seus longos próximo ao Zoológico e Jardim Botânico . "A parte cruel é a volta, chego as 10:30, vou cuidar da casa, passar, lavar roupa e louças etc. Se eu não fizer... ninguém faz param mim!" Mas, levar a vida como música é o segredo, gosto muito de MPB, mas também dos clássicos Bethoven e Strauss. O importante é ser eclético, agora estou curtindo o CD do Carnaval 2008.

O que eram simples passadas rápidas, transformei na corrida e descobri uma nova forma de viver com saúde e fazer amigos. Conhecer os novos mundos, os verdadeiros, os que estão dentro dessas pessoas. Isso sim é enriquecedor!”

A VITÓRIA NA VIDA !

Uma poesia para Dodô!

Pobre de ti, se pensas ser vencido!
Tua derrota é caso decidido
Queres vencer, mas como em ti não crês
Tua descrença esmaga-te de vez
Se imaginas perder, perdido estás
Quem não confia em si marcha para trás
A força que te impele para frente
É a decisão firmada em tua mente

Muita empresa esboroa-se em fracasso
Ainda antes do primeiro passo
Muito covarde tem capitulado
Antes de haver a luta começado
Pensa em grande, e os teus feitos crescerão
Pensa em pequeno, e irás depressa ao chão
O querer é o poder arquipotente
É a decisão firmada em tua mente

Fraco é aquele que fraco se imagina
Olha ao alto o que ao alto se destina
A confiança em si mesmo é a trajetória
Que leva aos altos cimos da Vitória
Nem sempre o que mais corre a meta alcança
Nem mais longe o mais forte o disco lança
Mas o que, certo em si, vai firme e em frente
Com a decisão firmada em sua mente.

*OS: Autor desconhecido

Texto e fotos: Vicent Sobrinho, Jornalista e Corredor

Um comentário:

Adriana Marmo disse...

Uma das coisas mais gostosas em dia de treino é a hora de receber o cumprimento e o bom dia do Dodô. Ele é um fofo, um querido. E eu sou fã dele!