segunda-feira, 24 de agosto de 2009

Resultados da Duque de Caxias (10 km e 4,3 km)

10 km

Josinaldo Soares Ferreira - 00:38:06 / 03:48
Wilian dos Santos Pontes - 00:39:51 / 03:59
Edson Stéfano - 00:39:55 / 03:59
Ana Luiza dos Anjos Garcez - 00:40:47 / 04:04
Alex Dias de Sousa - 00:40:53 / 04:05
Marcelino José Rodrigues - 00:42:42 / 04:16
Wanderlei de Oliveira - 00:43:23 / 04:20
Valdomiro Paulo Cocato - 00:44:08 / 04:24
Carlos Henrique A. Mateus - 00:44:43 / 04:28
Patricia Rodrigues Vismara - 00:47:16 / 04:43
Luciano Baroni - 00:47:15 / 04:43
Fernanda Paradizo - 00:49:26 / 04:56
Vera Alice Silva - 00:52:23 / 05:14
Flavia Kurtz - 00:53:19 / 05:19
Tereza Alves Moreira - 00:55:48 / 05:34
Ailton B. Santos - 00:58:01 / 05:48
Andrea de Oliveira - 01:00:32 / 06:03
Maria de Fatima Gomes da Silva - 01:03:42
Maria Aparecida de Morais - 01:03:48
Ivone Fernandes Ramos - 01:04:00 / 06:24
Luciana Adriano da Silva - 01:11:10
Angela Di Marzio Godoy Vasconcellos – 01:05:14
Maria Aparecida Carvalho Yamamoto – 01:19:47

4,3 km
Ana Maria Adriano da Silva – 00:47:10

quinta-feira, 6 de agosto de 2009

Mais medalhas para Mitico


Três provas e três medalhas no Mundial Máster de Atletismo para Mitico Nakatani. No dia 29 de julho, essa supervovó, de 77 anos e apenas 1m39 de altura, havia faturado na Finlândia uma medalha de prata nos 5000 metros de marcha atlética, mesmo não sendo essa sua especialidade. Para quem não sabe, Mitico, que é mãe de dois filhos, tem como ponto forte as provas de longa de distância, tendo sido inclusive campeã márter de maratona em 2005. Mesmo impossibilitada de correr provas mais longas por causa de algumas lesões que a afastaram por um tempo das corridas, ela não desistiu do seu sonho. Na pista de atletismo do Constância Vaz Guimarães, pudemos ver de perto ao longo deste ano todo o esforço e dedicação da atleta para recuperar o tempo perdido e ir em condições para a disputa de mais um mundial. As distâncias e as provas escolhidas com certeza não eram o seu ponto forte, mas quem conhece Mitico sabe que ela iria encarar suas adversárias com a mesma garra e determinação que a fizeram há quatro anos campeã mundial máster de maratona. E foi o que aconteceu. Depois de conquistar a prata na marcha no dia 29 de julho, ela voltou à pista mais duas vezes. Uma no dia 2 de agosto, para conquistar o bronze nos 5000 m de corrida, e outra hoje pela manhã, dia 6, na prova de 10000 m, também de corrida, onde faturou mais uma prata para seu currículo. Três medalhas num mesmo mundial não é para qualquer. Parabéns, Mitico!

quinta-feira, 30 de julho de 2009

Mitico é prata no Mundial


Na manhã de quarta, dia 29, a atleta Run For Life Mitico Nakatani faturou a medalha de prata para o Brasil na prova de 5.000 metros de marcha atlética no Campeonato Mundial Máster (categoria 75-79 anos), que está sendo disputado entre os dias 28 de julho e 8 de agosto, na Finlândia. Ela finalizou a competição em 41min17s, atrás da neozelandesa Dawn Cumming, que terminou os 5.000 metros em 39min59s.

O próximo desafio da atleta será nas provas de 5.000 e 10.000 metros, que serão disputadas nos dias 2 e 6 de agosto, respectivamente. Segundo Wanderlei de Oliveira, técnico da atleta, a medalha conquistada na marcha foi uma surpresa, já que não é a especialidade de Mitico, que já foi campeã mundial máster de maratona e tem a corrida como seu ponto forte. Já para as provas de 5.000 e 10.000 metros, o técnico acredita que Mitico possa fazer a diferença, mas faz também uma ressalva. Afinal, nada se conhece a respeito das adversárias.

terça-feira, 21 de julho de 2009

Fabiana Murer finaliza na Itália preparação para o Mundial


Atleta do Clube de Atletismo BM&FBOVESPA encerra treinamento no centro de treinamento da Iaaf, em Fórmia, com consultoria do técnico de Isinbayeva

Após uma temporada competições na Europa, a brasileira Fabiana Murer finaliza sua preparação para o Campeonato Mundial de Atletismo, treinando em Fórmia, na Itália. A atleta do Clube de Atletismo BM&FBOVESPA e seu técnico Élson Miranda já estão no Centro da Associação Internacional das Federações de Atletismo (Iaaf), onde permanecerão até o Mundial, de 15 a 25 de agosto, em Berlim. A qualificação do salto com vara será disputada no primeiro dia de competições e a final, dia 17.

Fabiana e Élson - além de Fábio Gomes, também atleta da BM&FBOVESPA - contarão com a consultoria do ucraniano Vitaly Petrov. Técnico da recordista mundial e olímpica Yelena Isinbayeva e do ex-atleta, mas ainda recordista mundial, Sergey Bubka, Petrov foi contratado pela BM&FBOVESPA para dar consultoria aos brasileiros. "O ambiente no centro de treinamento é muito bom, você faz tudo no mesmo lugar. Come, dorme, não precisa se deslocar para nada”, diz Fabiana, contente pela nova oportunidade de treinar com a orientação de Petrov e ao lado de Isinbayeva. "Treinar com ela é muito bom porque os parâmetros são diferentes e muito elevados”, explica a brasileira, confiante para Berlim."

Meu objetivo na temporada é uma medalha no Mundial”, afirma categórica a atleta da BM&FBOVESPA. "Estou entre as primeiras do ranking e sei que é bem possível, mas também sei que não é fácil.”Atualmente, Fabiana detém a terceira melhor marca da temporada: 4,82 m, com a qual bateu o recorde sul-americano do salto com vara, que já lhe pertencia. Somente Isinbayeva saltou mais alto que a brasileira no circuito este ano: 4,85 m, em Roma, e 4,83 m, em Berlim. Para atingir a meta estabelecida em 2009, Fabiana e seu treinador mudaram um pouco o programa de preparação, optando por fazer um treino mais longo e sem competições até o Mundial. Depois de Berlim, a brasileira salta as etapas de Zurique (SUI), dia 28 de agosto, e Bruxelas (BEL), em 4 de setembro, da Golden League, uma prova só de salto com vara em Beacon (ALE) e a Final Mundial do Atletismo, em Thessaloniki (GRE), em 12 e 13 de setembro, reunindo os melhores da temporada em cada modalidade.Na Europa desde o início de julho, a atleta da BM&FBOVESPA participou de três etapas da Golden League. Em Oslo (NOR), Fabiana foi a quinta colocada, com 4,56 m. No GP de Roma (ITA), ela terminou em quarto lugar, saltando 4,60 m, repetindo a quinta colocação, em Paris (FRA), com 4,45 m.

Fonte: Local da Comunicação

Meia Maratona do Rio de Janeiro reunirá elite nacional


Uma das corridas mais técnicas e charmosas do mundo será disputada no dia 6 de setembro


Os organizadores da 13ª edição da Meia Maratona do Rio de Janeiro, uma das provas mais técnicas e charmosas do calendário internacional, definiram os critérios para a formação dos pelotões de elite masculino e feminino da competição – tanto para os brasileiros quanto para os estrangeiros convidados. A prova será disputada no dia 6 de setembro, com largada em São Conrado e chegada 21.097 metros depois no Aterro do Flamengo.

Para garantir lugar no pelotão de elite – o grupo que larga à frente dos demais -, o corredor de rua precisa ter no masculino os seguintes tempos mínimos: 1h08min na meia maratona; 2h20min na maratona; 58min nos 18 km; 48min nos 15 km e 31min nos 10 km. No feminino, as marcas mínimas exigidas são de 1h20min na meia maratona; 2h48min na maratona; 1h00min nos 18 km; 57min nos 15 km e 36min nos 10 km.

A organização fixou como limite 100 vagas tanto no pelotão de elite masculino quanto no feminino. Já o número limite de participantes na prova é de 16 mil atletas.

As inscrições para a prova que tem um dos cenários mais bonitos do mundo devem ser feitas no site www.meiamaratonadoriodejaneiro.com.br e quanto mais cedo o atleta garantir participação menos pagará de taxa. Quem assegurar lugar no pelotão de largada até o dia 31, por exemplo, pagará a taxa de R$ 65,00. De 1º a 31 de agosto, ou até quando o limite de corredores for atingido, o valor será de R$ 75,00.

No ano passado, 15 mil atletas disputaram a prova, que foi realizada ao mesmo tempo do Campeonato Mundial CAIXA/IAAF de Meia Maratona, numa forma de reconhecimento da força da prova. O brasiliense Marilson Gomes dos Santos (1h03min14s) e a mineira Maria Zeferina Baldaia (1h13min42s) foram os campeões da Meia Maratona do Rio.

A Meia Maratona Internacional do Rio de Janeiro é uma realização da Rede Globo, com organização da Yescom, patrocínio da CAIXA e Adidas, apoio de Gatorade, Montevérgine, 3 Corações, HCor e apoio especial da Prefeitura do Rio de Janeiro. A supervisão é da IAAF, AIMS, Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt) e Federação de Atletismo do Rio de Janeiro (Farj).

Fonte: ZDL

sexta-feira, 10 de julho de 2009

Fabiana Murer termina em quarto no GP de Roma

A brasileira fez 4,60 m na prova do salto com vara que integra o calendário da Golden League. Agora vai saltar em Paris.

Fabiana Murer foi a quarta colocada na prova do salto com vara do Golden Gala, prova do calendário da Golden League realizada em Roma, Itália, nesta sexta-feira. Fabiana, atleta do Clube BM&FBOVESPA, saltou 4,60 m e terminou atrás de três russas, a bicampeão olímpica e mundial e recordista mundial Yelena Isibayeva, com 4,85 m, Yuliya Golubchikova, com 4,70 m, e Svetlana Feofanova, também com 4,70 m. O próximo compromisso de Fabiana será o Grand Prix de Paris, dia 17.

"Em Oslo, no primeiro Grand Prix, a Fabiana sentiu cansaço e estava um dia frio - também choveu forte e isso atrapalhou os resultados (foi quinta, com 4,56 m). Mas aqui em Roma ela fez bons saltos. Por muito pouco não ultrapassou o sarrafo a 4,70 m. Está conseguindo se adaptar e fazendo o trabalho dela, mas o nível é fortíssimo. Estamos no caminho, trabalhando por um bom resultado no Mundial", afirmou o técnico Elson Miranda, que acompanha Fabiana Murer na Europa, logo após a prova.

O técnico acrescentou que a saltadora brasileira vem encontrando as mesmas adversárias desde a Olimpíada de Pequim, no ano passado, e tem convicção que para brigar por medalha Fabiana terá de saltar perto da marca de seu recorde sul-americano (4,82 m). "Acho que para ir ao pódio na Alemanha será preciso saltar acima de 4,80 m." O Mundial de Berlim será de 15 a 23 de agosto.Após o Grand Prix de Paris Fabiana permanecerá na Europa - fará seu último mês de praparação ao Mundial em Fórmia, Itália, no centro de treinamento da Associação Internacional das Federações de Atletismo (Iaaf). O técnico ucraniano Vitaly Petrov, que orienta a recorde mundial Isinbayeva (5,05 m), é consultor dos atletas do salto com vara do Clube de Atletismo BM$FBOVESPA.

Fonte: Local da Comunicação

quinta-feira, 9 de julho de 2009

Fabiana Murer salta no Grand Prix de Roma


A atleta do Clube BM&FBOVESPA está aproveitando as provas na Europa para se adaptar ao clima de glamour que vai encontrar no Mundial de Berlim

A saltadora Fabiana Murer quer aproveitar os dois Grand Prix da Golden League que ainda saltará antes do Mundial de Berlim para se adaptar ao glamour que marca as competições de atletismo na Europa. "Estar numa prova com todas as líderes do ranking, sentir-se parte da elite mundial, ter estádios grandes como os de futebol lotados por um público que conhece atletismo e vibra... É tudo muito diferente daqui do Brasil, onde temos familiares nas arquibancadas”, observou Fabiana. A atleta disputa o Grand Prix Golden Gala, de Roma, mais uma etapa do calendário da Golden League, nesta sexta-feira (10/7), a partir das 14h30 (horário de Brasília). Já aclimatada ao fuso horário, após dez dias na Europa, a campeã pan-americana e recordista sul-americana do salto com vara (4,82 m), quer repetir suas melhores marcas da temporada. Fabiana ainda vai saltar dia 17, em Paris, outra etapa da Golden League, antes de dedicar um mês apenas aos treinos para o Mundial.

"O que eu vou encontrar em Roma e em Paris é o mesmo que terei no Mundial, já que este ano a competição mais importante da temporada também será na Europa. Todas as atletas de ponta no salto com vara estão aqui e eu entre elas – sou a segunda do ranking mundial. Hoje já conheço os organizadores, me relaciono em condições de igualdade com todas as atletas. Ainda estranho um pouco o público. Sei que não será fácil, mas sei também que a medalha no Mundial é possível”, observou Fabiana. "Fisicamente, é o melhor momento dela em toda a carreira. A Fabiana também está muito bem tecnicamente e vamos buscar a estabilidade dos resultados”, observou o técnico Élson Miranda, que acompanha a atleta em todas as competições na Europa.

A saltadora fará a preparação final para o Mundial (de 15 a 23 de agosto) na cidade italiana de Fórmia, no centro de treinamento da Associação Internacional das Federações de Atletismo (Iaaf), onde está também o brasileiro Fábio Gomes dos Santos. "É um local bem interessante. Tem infraestrutura de treinamento, restaurante, alojamento. A gente faz tudo lá”, conta Fabiana.

O Clube BM&FBOVESPA tem como consultor para seus atletas do salto com vara o técnico ucraniano Vitaly Petrov, que orienta a recordista mundial Yelena Isinbayeva e foi técnico do recordista mundial Sergey Bubka.Fabiana Murer aparece como a segunda colocada no ranking mundial de 2009 (com 4,82 m, recorde sul-americano), atrás apenas da bicampeã mundial e olímpica e recordista mundial (5,05 m), Yelena Isinbayeva (que saltou 4,83 m este ano), e à frente da norte-americana Jennifer Stuczynski (4,81 m).

Fonte: Local da Comunicação

terça-feira, 7 de julho de 2009

Atleta BM&FBOVESPA disputa Mundial de Menores na Itália


Com índice no salto em distância e octatlo, Victor de Souza opta pela prova combinada para lutar por medalha

O paulista Victor de Souza Santos, de 16 anos, será um dos 13 representantes brasileiros no Mundial de Menores, de 8 a 12 de julho, em Sudtirol, Itália. O atleta do Clube de Atletismo BM&FBOVESPA disputa o octatlo nos dois primeiros dias do evento. Victor também obteve índice para o salto em distância, mas como as duas provas coincidem no programa da competição, teve de fazer uma escolha. "Não poderia competir nas duas e optamos pela prova combinada”, explica o adolescente, que tem o atletismo como herança familiar. Sua mãe, Evarista Lourdes de Sousa, corria os 800 m e o pai, Adriano de Souza Santos, competia no arremesso de peso e no lançamento do disco. A paixão pelos esportes chegou cedo, lembra Victor. "Nunca vi meus pais competirem porque quando nasci eles já tinham parado. Mas morava em vila e sempre brincava de corrida com meus amigos. Eles eram dois, três anos mais velhos, mas eu sempre vencia e nos jogos escolares ganhava todas”, explica o atleta, que tinha 8 anos na época. "Eu pedia para treinar, mas minha mãe achava cedo e dizia que quando tivesse 11, ela me colocaria na escolinha e foi o que aconteceu.”

Desde o princípio, Victor ficou sob os cuidados da técnica Rita Santos de Jesus. Ex-atleta, Ritinha não demorou a perceber a qualidade do pupilo. "Ele começou treinando todas as provas, como todo mundo. Mas foi apresentando uma qualidade maior nos saltos em distância e altura”, lembra a treinadora. Até o pré-mirim, estas foram suas provas principais. No mirim (14-15 anos), Victor ganhou força e Ritinha achou que teria chances nas combinadas. O palpite foi certeiro e, apesar de ele não ter completado a prova em sua primeira tentativa, desde o ano passado Victor tem se dado bem nas combinadas. Em 2008, tornou-se campeão brasileiro na prova, além de conquistar o vice-campeonato sul-americano. No mesmo ano, conseguiu índices para o Mundial no octatlo (5.834 pontos) e no salto em distância (7,15 m), marcas que confirmou nesta temporada, atingindo 5.888 pontos na combinada e 7,35 m no salto. Preparando-se para o primeiro Mundial da carreira e sua segunda prova internacional (o Sul-Americano foi no Peru), Victor tem objetivos bem específicos em Sudtirol. "Não conheço muito meus adversários, só pelo ranking, mas minha meta é ficar acima dos 6.000 pontos”, afirma categórico. "Chegando aí estou perto de uma medalha.”Na temporada passada, o campeão Shane Brathwaite somou 6.261 pontos para ficar com o título. O vice-campeão e o terceiro colocado empataram com 6.212 pontos. "Tudo vai depender do nível da competição, mas com 6.000, ele é um provável medalhista”, reforça Ritinha, confiante nas chances de Victor. "Ele tem de fazer o que nós treinamos, não pode se assustar. Mas o Victor é muito disciplinado e sabe o que quer. Dentro da competição ele busca o que deseja e isto faz muita diferença”, diz a técnica, lembrando uma ocasião na qual a personalidade do atleta ficou bem evidente. No início do ano, Victor venceu o Campeonato Estadual de Menores e repetiu o índice para o Mundial, que já havia conquistado. Quando chegou em casa, recebeu os parabéns da mãe, mas não se deu por satisfeito. "Ele disse: legal pelo título, mas não tive um resultado melhor do que já tinha”, conta Ritinha.

O Mundial de Menores de 2009 reunirá 1.500 atletas de 178 países. A competição já revelou inúmeros atletas, entre eles a russa Yelena Isinbayeva e o jamaicano Usain Bolt, eleitos atletas do ano em 2008.Recordista olímpica e mundial do salto com vara Isinbayeva venceu a prova no primeiro ano de realização do Mundial da categoria, em 1999. Bolt foi campeão da competição nos 200 m em 2003. Cinco anos depois, tornou-se um dos grandes destaques dos Jogos Olímpicos de Pequim, com medalhas de ouro e recordes mundiais nos 100 m, 200 m e 4x100 m.

Combinadas
Octatlo é a versão para menores do decatlo adulto. Exclusivamente masculina, a disputa também é dividida em dois dias e tem oito provas no programa. Os competidores recebem pontos de acordo com os resultados que obtêm em cada prova e vence aquele que somar a maior pontuação. No primeiro dia, os atletas disputam os 100 m, salto em distância, arremesso de peso e 400 m. No segundo, as provas são 110 m com barreiras, salto em altura, lançamento de dardo e 1.000 m.

Fonte: Local da Comunicação

Fábio Gomes treina na Europa para o Mundial


O atleta do salto com vara está em Fórmia, na Itália, para se preparar ao lado da companheira do Clube BM&FBOVESPA Fabiana Murer e do técnico Élson Miranda

O saltador Fábio Gomes dos Santos já está em Fórmia, na Itália, para encontrar o técnico Élson Miranda e sua companheira do clube BM&FBOVESPA Fabiana Murer. Fábio, assim como Fabiana, também fará sua preparação para o Mundial de Berlim, de 15 a 23 de agosto, no centro de treinamento onde atua o ucraniano Vitaly Petrov e a recordista mundial Yelena Isinbayeva. O local é referência no salto com vara da Associação Internacional de Federações de Atletismo (Iaaf). O objetivo de Fábio é disputar a decisão do salto com vara no Mundial.

"Minha expectativa é saltar pelo menos 5,70 m na classificação para garantir presença na final e daí obter o melhor resultado possível”, diz Fábio que disputará o seu segundo Mundial – em Osaka (JAP), em 2007, ficou na 10ª colocação. Fábio, assim como Fabiana Murer, começou a saltar em Campinas, na PUC, "na escolinha do Élson”, como define o saltador, referindo-se ao técnico. Seu primeiro resultado importante foi o recorde brasileiro infantil (4,16 m) logo depois de iniciar na modalidade. Fábio, de 25 anos, salta há dez e é atualmente o recordista sul-americano com 5,77 m (de 7 de junho de 2007). Para o segundo Mundial de Fábio, o técnico Élson Miranda reforça a expectativa de ir à final e ficar entre os oito melhores do mundo. "Seria uma posição excelente.”

O técnico Élson Miranda acha importante ter Fábio e ele próprio trabalhando com Vitaly Petrov, que é consultor dos atletas da BM&FBOVESPA no salto com vara. "Estar com ele é sempre um aprendizado. Vamos acumulando conhecimento para o futuro. Além disso, o Fábio já havia feito um trabalho aqui para a temporada indoor, no início do ano, que agora terá continuidade”, observou Élson Miranda. Élson observa que os resultados de seus atletas no salto com vara já é fruto desse intercâmbio de alguns anos que estabeleceu com Petrov.

Fonte: Local da Comunicação

sexta-feira, 3 de julho de 2009

Fabiana Murer termina em quinto no GP de Oslo


Atleta do Clube BM&FBOVESPA ainda vai disputar os GPs de Roma e Paris antes do Mundial de Berlim, em agosto

Fabiana Murer terminou em quinto lugar no salto com vara no Grand Prix de Oslo (NOR), primeira das três competições que fará dentro do calendário da Golden League antes do Mundial de Berlim. Fabiana, atleta do Clube BM&FBOVESPA, saltou 4,56 m, mesma marca da polonesa Anna Rogowska, quarta colocada, e também da russa Yuliya Golubchikova. Numa prova de marcas não tão elevadas, a russa Yelena Isinbayeva levou a medalha de ouro, com 4,71 m, mesma marca da polonesa Monika Pyrek, vice-campeã. O bronze ficou com a russa Svetlana Feofanova (4,66 m).Agora, Fabiana Murer segue para Fórmia, na Itália, onde ficará enquanto compete e treina na Europa. A próxima competição da brasileira, recordista sul-americana do salto com vara (4,82 m), será o Grand Prix de Roma, no dia 10. A saltadora ainda compete no GP de Paris, dia 17, no estádio da Copa do Mundo de 1998. "Ainda vou procurar resultados mais estáveis nos GPs e, pelo que estou saltando nos treinos, acho até que posso bater o recorde sul-americano", disse Fabiana.

O Clube de Atletismo BM&FBOVESPA tem os patrocínios do Pão de Açúcar, Nike e Prefeitura de São Caetano. Fabiana ainda tem o patrocínio individual do Pão de Açúcar e da UCS.

Fonte: LOCAL DA COMUNICAÇÃO

Jovens do Centro de Excelência viajam para o Mundial Menor

Atletas embarcam neste domingo para a Itália, local da competição mais importante da categoria nesta temporada

Atletas do Centro de Excelência, projeto do Governo do Estado de São Paulo em parceria com o Instituto Memorial do Salto Triplo (IMST), estão de malas prontas para o Mundial Menor da Itália (de 8 a 12 de julho, na cidade de Südtirol), a mais importante competição do ano da categoria. A delegação brasileira – formada por 13 atletas – seguirá para o país europeu no domingo. Lívia Avancini, no arremesso do peso; Caio Cezar dos Santos, no salto em distância, e Wesley Caetano de Souza, no salto em altura, serão os representantes do Centro de Excelência no Mundial.Lívia Avancini, de 17 anos, está confiante em um bom desempenho em sua primeira competição internacional. "Os resultados que obtive no arremesso do peso mostram que tenho capacidade de chegar à final e figurar entre as primeiras colocadas. Se conseguir, serei a primeira brasileira da categoria na história a alcançar tal feito, o que me dá tranqüilidade para seguir em frente”, afirmou.

Segundo a atleta, a sua força é destaque desde os 12 anos, quando ingressou no atletismo. "Estava caminhando quando vi alguns colegas brincarem de jogar uma bola de beisebol o mais longe que conseguiam. Enquanto eles a jogavam a uns 20 metros de distância, eu lancei a mais de 50 metros na primeira tentativa. Foi aí que, aconselhada por todos, decidi começar no esporte”, contou a atleta. Para ela, participar do Centro de Excelência é um sonho. "Foi um passo importante para mim. Aqui tenho tudo que preciso para alcançar o alto rendimento”.

Wesley Caetano de Souza, de 16 anos, qualificado no salto em altura, tem história semelhante. Ao brincar com os amigos nas aulas de Educação Física, descobriu seu talento para o esporte. "Eu tinha uns 14 anos. A professora ficou espantada ao me ver saltar e me convidou para uma competição. Lá, sem treino nenhum, fiquei em primeiro lugar”, disse o jovem.Depois, Wesley disputou o Estadual da categoria e surpreendeu novamente. "Saltei 1,74m sem nunca ter tido uma aula específica. Fui convidado para o Centro de Excelência e, a partir daí, a evolução foi enorme”, avaliou. Vice-campeão brasileiro, o jovem quer melhorar a sua melhor marca (2,08m) e conquistar um bom resultado. "Estou feliz por estar na principal competição da categoria. Espero saltar 2,12m lá e ver no que dá”, resumiu.

Rafael Jubelini/Adriana Natali, assessoria de imprensa da Federação Paulista de Atletismo

quarta-feira, 1 de julho de 2009

Escola de Educação Física da PM inicia comemorações do centenário


Carolina Canossa - São Paulo (SP)

O coronel Sebastião Alberto Corrêa de Carvalho é um dos organizadores das comemorações
A princípio, a Polícia Militar do Estado de São Paulo e o esporte brasileiro têm pouco em comum. Porém, enganam-se aqueles que pensam desta maneira: graças à criação, em 08 de março de 1910, da Escola de Educação Física (EEF), a corporação deu início a uma história que contribuiu bastante para o desenvolvimento das atividades físicas no Brasil.

Mais antigo estabelecimento de ensino que diploma professores de Educação Física em território nacional, a "Velha Escola" já está planejando as atividades para comemoração de seu centenário. Entre as atividades previstas estão uma grandiosa festa, a criação de um espaço "Memória", a composição de uma música especial para a ocasião, a apresentação de um concerto sinfônico, além da publicação de um livro com fotos e do "livro de ouro", recheado de histórias ocorridas durantes todos estes anos.

"Daqui saíram importantes figuras. O trabalho feito pela Escola de Educação Física é sensacional", constata Flávio Delmanto, presidente do Conselho Regional de Educação Física do Estado de São Paulo. "Várias pessoas já demonstraram para nós, no Conselho, o orgulho de terem se formado nesta instituição", lembra.

Conforme explica o coronel Sebastião Alberto Corrêa de Carvalho, ex-professor de atletismo e estudioso sobre o tema, a EEF surgiu após a chegada da Missão Militar Francesa, contratada pela então Província de São Paulo para ministrar instruções militares à Força Pública, entidade responsável à época por garantir a segurança da sociedade.

A despeito de uma resistência inicial (especialmente por parte de militares que se sentiram desafiados com o fato de estarem sendo instruídos por estrangeiros), os franceses ganharam a admiração dos brasileiros, que sentiram a necessidade de dar prosseguimento ao trabalho. Desde então, o sucesso da Escola tem sido visto de diversos ângulos.

"Convivemos com vários atletas oriundos da EEF que sempre estiveram representando bem o Brasil em competições internacionais", observa o coordenador de Esportes da Secretaria de Esporte, Lazer e Turismo do Estado de São Paulo, Nelson Gil de Oliveira. Entre os nomes de maior destaque está o de José Romão Andrade da Silva, detentor de diversos recordes brasileiros e sul-americanos em provas de fundo e meio-fundo na década de 70.

Alunos e convidados acompanharam atentos palestra sobre centenário da EEF da PM de São Paulo. E o treinador de Romão na EEF foi justamente o coronel Corrêa de Carvalho, que posteriormente, entre 1982 e 1984, ocupou o cargo de presidente da Federação Paulista de Atletismo (FPA).

"A Escola de Educação Física foi além dos limites da corporação e do estado. Já capacitamos PMs de outros lugares, já ajudamos na realização de seminários internacionais com atletas e técnicos da São Silvestre e também a promover junto com a Gazeta Esportiva a "Operação Juventude", importante competição de base de atletismo", comenta.

A importância da EEF vai além do esporte. "Se a tropa da PM não tivesse um condicionamento físico mínimo, ela nunca seria eficaz", destaca o coronel. "A atividade física não é só beleza estética e sim vida. O sedentarismo mata 300 mil pessoas por ano no Brasil por fatores que poderiam ser evitados com 30 minutos de atividade moderada por dia", afirma.
Justamente por isso, o coronel Corrêa de Carvalho promete empenhar-se muito na comemoração do centenário da EEF. "A festa não pode acabar em março. Vamos lutar para lançar este sentimento porque precisamos valorizar esta vitória", finaliza.

Foto: Fernando Pilatos/Gazeta Press (O coronel Sebastião Alberto Corrêa de Carvalho é um dos organizadores das comemorações)

Gazeta Esportiva.Net - O melhor Portal de esportes do Brasil
26 Jun 2009 ... Conforme explica o coronel Sebastião Alberto Corrêa de Carvalho, ex-professor de atletismo e estudioso sobre o tema, a EEF surgiu após a ...www.gazetaesportiva.net/nota/2009/.../585877.html

terça-feira, 30 de junho de 2009

Run For Life - A corrida em minha vida!


Valdomiro Cocato chegou na Run For Life em 1988, pelas passadas do médico Carlos Rocia, que na época fazia parte da equipe. "Para mim a corrida significava a entrada em um outro "mundo", um mundo de disciplina e determinação que acaba melhorando a qualidade de nosso dia-a-dia."

Para Dodô, o melhor é a união das pessoas, “correr em equipe é fundamental, as vezes queremos parar e desistir, é o grupo que nos mantém saudáveis de corpo e espírito! Sou admirador da querida Srª Mitiko, do Jacob, Sr. Oswaldo Silveira e do amigo Joaquim(do SPFC).Todos eles já passaram dos 70 anos esbanjando vigor atlético. Valorosas também são as moças e senhoras que correm em nossa equipe, evoluem com muita raça e determinação, quando conto para os leigos o que todos da equipe fazem... Quase sempre não acreditam.. Só ver para crer mesmo!”

A Jovialidade está sempre viva, descobri a corrida após os 45 anos
Cocato, no alto de seus 67 anos é um campeão, não somente na velocidade e na resistência, mas, em carinho e atenção ao grupo da Run for Life. Ele é um querido amigo de todos. Dodô, um experiente atleta, dá a impressão que saiu correndo do bercinho, corre desde criança. Na verdade Dodô é um jovem corredor, corre há mais de 20 anos. "Comecei correr aos 45 anos..." disse Cocato com o brilho nos olhos de quem tem 15 anos. Dodô foi jogador de futebol, semiprofissional. "Joguei em todos os estádios de futebol de São Paulo, menos no Morumbi, pois ainda estava em construção" Observou o São Paulino de coração.A corrida veio para Dodô como indicação de saúde, sem perceber aplicou uma técnica certeira, começou correndo 10 minutos, e foi aumentando no decorrer das semanas. Quem o vê, hoje com seus 65 quilos, não imagina que um dia Dodô passou dos 80 quilos. “Resolvi correr para emagrecer, pois, percebi que tinha engordado muito, fato que acomete esportistas quando param de praticar.Quando consegui correr 20 minutos a família comemorou!" Explicou sorrindo.

Em 1987 Dodô estreou na São Silvestre. “A chegada Foi uma emoção indescritível, ainda era a noite e em sentido contrário, um momento de encanto e beleza, inesquecível !

Conquistas na rua e na pista
Dodô já participou de mais de 350 provas oficiais, a maioria de 10 km. Ele diz que entre treinos e corridas já correu mais de 60.000 km, o que equivale a dar mais de 10 mil voltas no Parque do Ibirapuera ou ir e voltar 10 vezes até Salvador/BA. O veterano guarda no coração o momento da conquista da 3ª colocação na categoria da Meia Maratona de Internacional de Buenos Aires. "Foi em 2002, fiz o tempo de 1h 29:06. “Foi um momento mágico junto com João Ambrosano e sua esposa. Juntos nos emocionamos na chegada misturando lágrimas com as gotas da chuva que caiam.”

Nas competições estaduais de veteranos, Dodô, sempre está os três primeiros da categproa. É um freqüentador dos pódios. O experiente atleta da uma dica aos novatos. “Paciência, Paciência... paciência.. aprenda primeiro a escutar seu corpo, depois vai aumentando o ritmo de treinamento, sempre orientado pelo técnico. O importante é respeitar a seqüência: Trabalho, Família e lazer e nunca se esqueça .. a empolgação leva a lesão!Treinos preferidosTem gosto para tudo e Dodô é um desses, ele adora os tiros de 100 metros em rampa e também dos tiros de 200 metros na pista. "Adoro a velocidade, esses tiros nos preparam bem para isso, já experimentei e funciona mesmo! Dodô revela que ao mirar a reta final, força bastante, próximo ou ao limite, pois sabe que os concorrentes farão o mesmo. “É muito ruim perder na chegada, prevalece quem está melhor preparado tenho dado sorte!!”

Quando começou a correr, Dodô se assustou com a primeira prova, não é pra menos, foi escolher logo uma maratona?! Foi a do Rio de Janeiro, “até hoje acho irracional, é uma distância exaustiva demais assim como os treinamentos para tal. Por isso prefiro as provas até 10 km.” Dodô tem um sonho, um dia correr a meia-maratona de Milão, quanto a uma maratona, ele confessa: “Fiz a primeira e não gostei! Talvez um dia... quem sabe, ainda é cedo!”. Brinca o atleta.

Relógio nas pernas e amigos veteranos
Um dos fatores mais importantes que Dodô faz questão de lembrar é a concentração no dia da prova. "Correr é uma ciência, quase matemática, cada corrida é única, temperatura, umidade do ar etc. Quando se corre em nível competitivo é preciso ser ritmado, com um relógio nas pernas e muita atenção, pois um descuido a corrida já era. Amigos são sempre amigos, mas em competições tudo é diferente, sou um competidor. Procuro fazer sempre o meu melhor, a competição não é apenas uma superação física, mas também mental.”

Um dia de Dodô, livro, música, cachorros...Dodô mora só e se vira nas atividades domésticas. Desperta antes das quatro horas, se alimenta e caminha um quilômetro para pegar o ônibus que lhe deixa próximo ao Ginásio do Ibirapuera. Dodô na verdade é um discípulo de São Francisco, carrega sempre em sua mochila de treino, um pouco de ração para cães e gatos de rua que encontra pelo caminho. "Eles já esperam por mim no caminho... todos os dias. Fico triste com o abandono, esses animais sofrem como a gente, sentem dor também.. são muitos que encontro e alimento, as vezes socorro e levo para veterinário e entidades que cuidam e salvam essas almas que só sabem agradecer e abanar o rabo de alegria. Há mais humanos irracionais do que imaginamos, é só ver como tratam os animais e os abandonam nas esquinas e ruas. . Fã de contos e poesia, Dodô indica o livro, "Marley e Eu" de John Grogan - É a vida e o amor de uma família e um labrador muito sapeca.Em dias de rodagem Dodô faz seus longos próximo ao Zoológico e Jardim Botânico . "A parte cruel é a volta, chego as 10:30, vou cuidar da casa, passar, lavar roupa e louças etc. Se eu não fizer... ninguém faz param mim!" Mas, levar a vida como música é o segredo, gosto muito de MPB, mas também dos clássicos Bethoven e Strauss. O importante é ser eclético, agora estou curtindo o CD do Carnaval 2008.

O que eram simples passadas rápidas, transformei na corrida e descobri uma nova forma de viver com saúde e fazer amigos. Conhecer os novos mundos, os verdadeiros, os que estão dentro dessas pessoas. Isso sim é enriquecedor!”A VITÓRIA NA VIDA !

Uma poesia para Dodô!

Pobre de ti, se pensas ser vencido!
Tua derrota é caso decidido
Queres vencer, mas como em ti não crês
Tua descrença esmaga-te de vez
Se imaginas perder, perdido estás
Quem não confia em si marcha para trás
A força que te impele para frente
É a decisão firmada em tua mente
Muita empresa esboroa-se em fracasso
Ainda antes do primeiro passo
Muito covarde tem capitulado
Antes de haver a luta começado
Pensa em grande, e os teus feitos crescerão
Pensa em pequeno, e irás depressa ao chão
O querer é o poder arquipotente
É a decisão firmada em tua mente
Fraco é aquele que fraco se imagina
Olha ao alto o que ao alto se destina
A confiança em si mesmo é a trajetória
Que leva aos altos cimos da Vitória
Nem sempre o que mais corre a meta alcança
Nem mais longe o mais forte o disco lança
Mas o que, certo em si, vai firme e em frente
Com a decisão firmada em sua mente.

*OS: Autor desconhecido

Texto: Vicent Sobrinho, jornalista e corredor

segunda-feira, 15 de junho de 2009

Fabiana Murer leva bronze na Golden League, em Berlim


Atleta do salto com vara, do Clube BM&FBOVESPA, competiu no mesmo estádio onde disputará o Mundial, em agosto

A brasileira Fabiana Murer, do salto com vara, levou a medalha de bronze na primeira prova do calendário da Golden League, neste domingo, em Berlim (ALE), competindo no mesmo estádio onde será realizado o Mundial de Atletismo, em agosto. A atleta do Clube BM&FBOVESPA saltou 4,68 m e terminou a prova atrás da russa Yelena Isinbayeva (4,83 m), atual recordista mundial, e da polonesa Monika Pyrek (4,78 m).

Fabiana acha que poderia ter saltado mais alto pela sua boa atual condição técnica. "Senti o cansaço da viagem", disse.A atleta do Clube BM&FBOVESPA explicou, por telefone, que estava 'sobrando' nos saltos, mas se sentia fisicamente cansada. "Eu fiz bons saltos e estou contente por isso." Fabiana também achou importante competir no mesmo estádio onde será realizado o Mundial, a principal competição do calendário em 2009. "Este estádio tem um clima bom, a pista é boa e sempre ajuda conhecer a infraestrutura do local antes de uma competição importante como o Mundial."

Para o técnico Elson Miranda, Fabiana está muito bem tecnicamente, com a corrida dando certo e boa velocidade de impulsão. "Na verdade, ela saltou bem alto nas primeiras tentativas, mas faltou condição física, pelo cansaço, para ela fazer isso até o final. Numa competição, o normal é você saltar mais alto no fim", observou Elson. O treinador, também integrante do Clube BM&FBOVESPA, gostou da prova, mas sabe que Fabiana tem condições de fazer mais do que os 4,68 m de Berlim. No Troféu Brasil, no último dia 7, Fabiana saltou 4,82 m, recorde sul-americano do salto com vara.

Fabiana volta ao Brasil e seu próximo compromisso será o Sul-Americano de Lima, no Peru, de 19 a 21. Ainda disputa três provas da Golden League em julho - Oslo (NOR), dia 3, Roma (ITA), dia 10, e Paris (FRA), dia 17.

Fonte: LOCAL DA COMUNICAÇÃO
Foto: Divulgação

sexta-feira, 12 de junho de 2009

Fabiana Murer salta em Berlim na Golden League


A atleta do Clube BM&FBOVESPA já está na Alemanha, no mesmo estádio do Mundial, para competir contra as melhores do mundo

A saltadora Fabiana Murer disputa a primeira etapa da Golden League neste domingo (14/6), em Berlim, na Alemanha. A atleta do Clube BM&FBOVESPA seguiu para a Europa motivada pelo resultado que obteve no Troféu Brasil de Atletismo, no último domingo, no Rio de Janeiro, quando bateu o recorde sul-americano do salto com vara, com a marca de 4,82 m. Fabiana encontrará em Berlim as principais atletas do mundo na sua prova e conhecerá o estádio onde será realizado o Mundial, em agosto.A brasileira entra no nobre circuito mundial de provas do atletismo que, ao final, distribuirá o 'pote de ouro', como é chamado o prêmio de US$ 1 milhão a ser dividido entre os atletas que vencerem suas provas nas seis etapas do calendário (Berlim, 14/6; Oslo, 3/7; Roma, 10/7; Paris, 17/7; Zurique, 28/8; e Bruxelas, 4/9). O salto com vara será uma das provas importantes da Golden League pela presença da recordista mundial (5,05 m), duas vezes campeã mundial e olímpica, a russa Yelena Isinbayeva. O site da Associação Internacional de Federações de Atletismo (Iaaf) anuncia a etapa de Berlim com destaque para o salto com vara, para Isinbayeva e também para Fabiana Murer. A prova ainda terá a russa Yulia Golubchikova, campeã européia indoor, as polonesas Monika Pyrek e Anna Rogowska, e a alemã Sike Spiegelburg."No ano passado, quando eu saltei 4,80 m (então recorde sul-americano) percebi que estava no meu limite. Dessa vez, quando saltei 4,82 m, no Troféu Brasil, acho que ainda posso ir mais alto. Não me sinto no limite, pelo contrário", acentuou Fabiana Murer, que espera usar essa 'sobra' para assegurar uma medalha no Mundial, em agosto. "Vai ser importante voltar a competir contra as melhores do mundo antes do Mundial", acrescentou. O técnico Elson Miranda observou que o salto com vara é uma prova técnica, muito difícil, mas que Fabiana está cada vez mais segura para ir mais alto.




LOCAL DA COMUNICAÇÃO

domingo, 7 de junho de 2009

Clube BM&FBOVESPA vence o Troféu Brasil


Equipe terminou com 777 pontos na contagem geral, 27 medalhas de ouro, 19 de prata e 15 de bronze; Marilson dos Santos e Fabiana Murer foram os melhores atletas da competição


Rio de Janeiro - O Clube de Atletismo BM&FBOVESPA ganhou o nono título consecutivo, na 28ª edição do Troféu Brasil, encerrada neste domingo, no Estádio Olímpico João Havelange, o Engenhão. O Clube somou 777 pontos, com a Rede Atletismo em segundo lugar (720) e o Pinheiros em terceiro (114). "Falta um para ser decacampeão", gritavam os atletas, comemorando na pista. O clube levou 88 atletas ao Rio e somou, em quatro dias de competição, 61 medalhas: 27 de ouro, 19 de prata e 15 de bronze.Fabiana Murer, que bateu o recorde sul-americano do salto com vara (4,82 m), com a melhor marca do ano, e Marílson Gomes dos Santos, que ganhou os 5.000 m e os 10.000 m com recordes do Troféu, foram premiados como os melhores atletas da competição."Felizmente consegui chegar em uma grande fase no Troféu Brasil e ajudar o Clube BM&FBOVESPA na conquista desse título tão importante para quem investe no atletismo há tanto tempo. Agora vou dar sequência nos treinos para correr a maratona no Mundial de Berlim, em agosto", acentou Marílson, bicampeão da Maratona de Nova York.A rivalidade com a equipe Rede, que tem dois anos, acirrou a disputa do Troféu Brasil este ano e deu tom especial à vitória. "No ano passado fomos surpreendidos por uma boa atuação da Rede e pelo assédio aos nossos atletas. Vários deles receberam propostas financeiras irrecusáveis. Substituímos alguns técnicos que saíram, contratamos outros, reestrututramos o nosso trabalho e tudo deu certo", avaliou o diretor-técnico Sérgio Coutinho Nogueira, que deixará a função, após mais de 20 anos no comando de equipes no Troféu Brasil e passará a atuar somente no Conselho Administrativo do Clube BM&FBOVESPA.

"Foi a vitória da competência, da ética, da união e sobre o dinheiro", acrescentou o técnico-chefe da equipe, Ricardo D'Angelo.


LOCAL DA COMUNICAÇÃO

Fabiana voa no Rio


Fabiana Murer voa no Engenhão e bate o recorde Sul-Americano


Rio de Janeiro - Um salto que valeu por quatro. Ao alcançar a marca de 4,82 m, a saltadora Fabiana Murer (BM&F Bovespa) fez história no Estádio Olímpico João Havelange, o Engenhão, na manhã deste domingo (7), no último dia do Troféu Brasil Caixa de Atletismo.Além de garantir o título, Fabiana bateu seu antigo recorde continental, que era 4,80 m e, de quebra, estabeleceu a melhor marca no salto com vara na temporada. O segundo melhor salto de 2009 pertence à norte-americana Jenniffer Stuczynski, com 4,81 m. Para completar o dia dourado, ela foi eleita pela organização a melhor atleta feminina do Troféu.Fabiana ainda fez duas tentativas com o sarrafo a uma altura de 4,94m, mas não obteve sucesso. "Sabia das dificuldades, mas na nossa prova não há limites, sempre queremos voar mais alto", disse a campeã.Fabiana destacou ainda a importância do feito ter sido alcançado no Troféu Brasil: "É ainda mais relevante, pois temos um compromisso de competir pelo clube."A paulista de Campinas afastou, assim, a frustração pelo insucesso do GP Rio Caixa, em 17 de maio, também no Engenhão, quando foi eliminada após três tentativas fracassadas com o sarrafo na altura de 4,30m.


Foto crédito: Alexandre Loureiro/CBAt

Meninas do revezamento 4x100 m vencem o Troféu Brasil


O clube está na frente no Troféu Brasil de Atletismo e, neste sábado, comemorou a boa performance de Thatiana, Rosemar, Lucimar e Jailma


Rio de Janeiro - O revezamento 4x100 metros feminino do Clube BM&FBOVESPA venceu a prova e deu show no Estádio Olímpico João Havelange, o Engenhãro, no Rio, neste sábado, penúltimo dia de competições do Troféu Brasil de Atletismo. Thatiana Regina Ignácio, Rosemar Coelho Neto, Lucimar de Moura e Jailma Sales de Lima, que fechou com superioridade, marcaram 43s32, quebrando o recorde do Troféu (que era de 43s78). As meninas surpreenderam a equipe da Rede Atletismo que tinha o favoritismo, mas cruzou em segundo (43s38), à frente do time do Pinheiros (45s58). O revezamento deu 31 pontos para o Clube BM&FBOVESPA que terminou o dia com 501 pontos, à frente da Rede Atletismo (448,5) e do Pinheiros (79,5). O clube soma 17 medalhas de ouro, 11 de prata e 9 de bronze.Jailma, que já havia feito a sua melhor marca nos 400 m no dia anterior, surpreendeu as companheiras com sua velocidade. "Eu estava um pouco nervosa porque nunca corri o 4x100 m no Troféu Brasil. Mas fiz o que podia e não podia para ganhar a prova. Tivemos poucos treinamentos, mas todas estavam bem confiantes. Minha prioridade é os 400 m", afirmou Jailma.Lucimar Moura, que venceu os 100 m individual, também correu muito bem o revezamento. "Usei toda a minha velocidade. O nosso grupo está de parabéns. Sabíamos que a Rede tinha uma equipe forte, com todas as meninas correndo para 11 segundos, mas estávamos confiantes e nos esforçamos", disse.A equipe da BM&FBOVESPA teve uma excelente performance neste sábado com cinco medalhas de ouro, quatro de prata e três de bronze. A fundista Cruz Nonata da Silva, que já tinha vencido os 10.000 m, fechou o dia com o seu segundo ouro no Troféu Brasil deste ano, desta vez nos 5.000 m, com 16min21s41, seguida pela também atleta da BM&FBOVESPA Fabiana Cristine da Silva (16min34s15). "Foi um sonho realizado. No ano passado eu fui segunda nos 5 mil e 10 mil. Tudo com muito trabalho e mentalização", observou Cruz.


LOCAL DA COMUNICAÇÃO

sexta-feira, 5 de junho de 2009

Lucimar garante vaga no Mundial


A velocista do clube BM&FBOVESPA venceu os 100 m com 11s28; equipe tem 316 pontos, 9 medalhas de ouro, 7 de prata e 7 de bronze


Rio de Janeiro - A velocista Lucimar Moura venceu os 100 metros rasos do Troféu Brasil de Atletismo com o tempo de 11s28, índice A para o Mundial de Berlim, em agosto. Lucimar já tinha o índice B, mas não estava satisfeita. A atleta comemorou muito o resultado, com um berro. Explicou que "estava treinando muito bem e uma hora essa marca tinha de sair". Lucimar, de 35 anos, venceu adversárias da nova geração, Evelyn dos Santos (11s48) e Thaíssa Presti (11s50), nesta sexta-feira, no Estádio João Havelange, o Engenhão, no Rio de Janeiro.O Clube BM&FBOVESPA terminou o dia com 14 medalhas, quatro delas de ouro. As outras foram no salto com vara, com Fábio Gomes da Silva; no salto em distância, com Erivaldo da Cruz Vieira e no arremesso do peso, com Ronald Julião. O clube lidera a classificação com 316 pontos, à frente da Rede Atletismo (298,5) e do Pinheiros (50,5). Em dois dias de disputas já soma 9 medalhas de ouro, 7 de prata e 7 de bronze.A velocista Lucimar saiu do Engenhão classificada para o quarto Mundial de sua carreira - tem o melhor resultado da história do Brasil na prova, o 12º lugar de Helsinque/2005, nos 100 m. "Atribuo essa minha longevidade ao bom trabalho de base que fiz no atletismo, na Usipa, ainda com o Biga, e depois aos treinamentos com Katsuhico Nakaya, um excelente profissional da velocidade, desde 2003", disse, comemorando muito. Lucimar não ganhava o Troféu Brasil desde 2006. "Fui campeã, pela última vez, em 2005. Em 2006 fui terceira, em 2007 me lesionei e em 2008 fui segunda. Que bom." Agora Lucimar disputa o Sul-Americano de Lima, Peru, de 19 a 21, e os Jogos da Lusofonia, em julho, antes do Mundial. No salto com vara o Clube BM&FBOVESPA teve dobradinha de Fábio Gomes dos Santos (5,55 m) e João Gabriel Souza (5,10 m), ouro e prata. Fábio fez o índice B para o Mundial e agora terá de vencer o Sul-Americano ou fazer o índice CBAt, de 5,63 m, para integrar a seleção Brasileira em Berlim. "Eu tentei os 5,63 m aqui, mas por uns erros técnicos não consegui passar. O bom foi que venci a prova para o Clube BM&FBOVESPA. Agora quero ganhar o Sul-Americano", disse Fábio.Outra boa dobradinha para o clube no dia foi a do arremesso do peso, com Ronaldo Julião (18,09 m) e Gustavo de Mendonça (17,34 m), ouro e prata. A dupla também é a favorita para o lançamento do disco, neste sábado.Erivaldo da Cruz Vieira levou o quarto ouro do dia para o Clube BM&FBOVESPA no salto em distância (7,84 m) - seu parceiro de equipe, Rubens dos Santos Júnior (7,71 m) ficou com o bronze.Hudson Santos de Souza foi o segundo colocado nos 1.500 m (3min46s59), em corrida vencida por Fabiano Peçanha (3min46s22). Os pódios do salto triplo e dos 400 m também tiveram dobradinhas do Clube BM&FBOVESPA, prata e bronze. Tânia Ferreira da Silva (13,65 m) ficou em segundo e Fernanda Gonçalves (13,56 m) em terceiro no salto triplo, vencido por Gisele Lima de Oliveira. Jailma Sales de Lima levou a prata nos 400 m (51s99), com Geisa Coutinho em terceiro (52s64). Mônica de Freitas ficou com a prata no salto em altura (1,81 m). Perla dos Santos levou o bronze nos 800 m (2min06s16), atrás de Josiane Tito (2min03s85) e Christiane Ritz (2min04s94).


LOCAL DA COMUNICAÇÃO

quinta-feira, 4 de junho de 2009

Marilson vence 10.000 metros do Troféu Brasil


Marilson vence 10 mil metros com recorde do Troféu Brasil


O fundista do Clube de Atletismo BM&FBOVESPA confirmou o seu favoritismo e provou que está muito bem na preparação para correr a maratona no Mundial de Berlim
Rio de Janeiro - O bicampeão da Maratona de Nova York, Marilson Gomes dos Santos, atleta do Clube BM&FBOVESPA, confirmou o favoritismo e venceu os 10.000 metros no Troféu Brasil, nesta sexta-feira, no Engenhão, no Rio de Janeiro. E ainda bateu o recorde do torneio. Marílson fez a prova em 27min58s83 para ficar com o ouro e baixar sua própria marca, de 28min21s38, de 2004. Damião de Souza, da Pé de Vento/Petrópolis, ficou com a medalha de prata (28min41s64), e Daniel Chaves da Silva, também do Clube BM&FBOVESPA, levou o bronze (28min49s42).No fim do dia, somadas as provas de Bragança Paulista e as duas finais dos 10 mil metros, o Clube BM&FBOVESPA lidera a competição com 160 pontos, com a Rede Atletismo em segundo, com 116 pontos, e EC Pinheiros, com 15.Marílson tinha a expectativa de correr bem, mas foi surpreendido pelo bom tempo. "Eu esperava bater o recorde da competição, mas correr abaixo dos 28 minutos foi muito bom. Isso me dá muito ânimo, por saber que estou bem e minha preparação para a maratona do Mundial de Berlim está no caminho correto", disse o fundista.Marílson descartou a possibilidade de voltar a correr os 10 mil m em provas internacionais. "Tem muitos africanos bons lá fora, minhas chances são mesmo muito melhores na maratona", disse o atleta que, no entanto, é o recordista sul-americano da distância, com 27min28s12, marca de 2007.O principal fundista do país na atualidade, que volta a competir os 5.000 m no domingo, às 9h40, no Troféu Brasil de Atletismo, observou que para finalizar sua preparação ao Mundial (a maratona será disputada no dia 22 de agosto) fará uma meia-maratona, em local e data ainda indefinidos, e treinamento em altitude em St. Morritz, na Suíça.Para esta sexta-feira estão programadas 13 finais no Troféu Brasil. A velocista Lucimar Moura foi a melhor entre as 25 atletas nas três séries dos 100 m. Lucimar fez 11s32 e comemorou. "Foi uma prova tranquila, gostei do resultado. Até porque uma atleta já havia queimado e eu fiquei no bloco para evitar a desclassificação. Ainda quero fazer o índice A e bater o recorde do Troféu Brasil", disse Lucimar que compete nesta sexta-feira, às 15h20. Fábio Gomes da Silva é o favorito no salto com vara. O atleta do Clube BM&FBOVESPA quer saltar bem. "Este ano já fiz três provas, em duas delas saltei 5,40 m e na outra zerei", disse, referindo-se a competições ao ar livre. "Mas estou treinando bem e quero chegar mais perto da minha melhor marca", completou. Fábio é recordista sul-americano da prova, com 5,77 m, de 2007. O salto com vara começa às 15 horas.Outra prova em que os atletas do Clube BM&FBOVESPA são favoritos é o arremesso do peso, a partir das 15h40. "Não esperamos nada que não seja o primeiro e o segundo lugares com Ronaldo Julião e Gustavo Gomes de Mendonça. Eles é que decidam lá dentro as posições", observou o técnico João Paulo Alves da Cunha.


LOCAL DA COMUNICAÇÃO

Meia Maratona do Rio de Janeiro


Meia Maratona do Rio reúne atletas de todo o país


A 13ª Meia Maratona Internacional do Rio de Janeiro, uma das provas mais importantes e belas do calendário de corridas de rua, reúne atletas de todo o país, numa demonstração de que está mais do que consolidada. No ano passado, por exemplo, a prova marcada para o dia 6 de setembro, com largada em São Conrado e chegada 21.097 metros depois no Aterro do Flamengo, valeu como Campeonato Mundial de Meia Maratona da IAAF/CAIXA.O cenário e as atrações turísticas da Cidade Maravilhosa são um chamariz à parte, aliados à boa organização e excelente nível técnico da prova. As inscrições podem ser feitas no www.meiamaratonadoriodejaneiro.com.br e quanto mais cedo o atleta garantir participação menos pagará de taxa. Até o dia 30 de junho, o valor é de R$ 50,00. A taxa sobe para R$ 65,00 de 1º até 31 de julho e R$ 75,00 de 1º até 31 de agosto.As inscrições, porém, podem ser encerradas pelos organizadores antes deste prazo se o limite de 16.000 corredores for atingido.A Meia Maratona Internacional do Rio de Janeiro é uma realização da Rede Globo, com organização da Yescom, patrocínio da CAIXA e Adidas, apoio de Gatorade, Montevérgine, 3 Corações, HCor e apoio especial da Prefeitura do Rio de Janeiro. A supervisão é da IAAF, AIMS, Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt) e Federação de Atletismo do Rio de Janeiro (Farj).Mais informações no site http://www.meiamaratonadoriodejaneiro.com.br/


ZDL - Foto divulgação

domingo, 31 de maio de 2009

Largue o cigarro correndo


O dia de 31 de maio foi escolhido pela OMS – Organização Mundial de Saúde como o “Dia Mundial de Combate ao Tabagismo”.


Não é um dia de festa, mas sim de alerta!
Apesar das fotos chocantes estampadas nos maços de cigarro e, campanhas contra o tabagismo, cada vez mais, principalmente os jovens tem adotado este vicio.
Em viagem à Europa, fiquei impressionado com o número alarmante de fumantes: nas ruas, em todos os restaurantes – se fuma, até em elevador tem cinzeiro.
Parece que o cigarro é o 11o dedo, tamanha é a parceria com o viciado.
Dizer que fumar é um hábito: - só para fumante.

Hoje, pela manhã ao sair para uma corrida no Jardim Botânico, encontrei jogado no chão vários maços de cigarros (quando deveriam estar nos cestos de lixo), com as seguintes frases: - O Ministério da Saúde adverte: “fumar causa câncer do pulmão”, “quem fuma não tem fôlego para nada”, “fumar na gravidez prejudica o bebê”, entre outras.
Certo dia li em um caminhão: “beijar uma mulher que fuma, é a mesma coisa que lamber um cinzeiro”.

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS) estima-se que o cigarro mata mais de 3 milhões de pessoas no mundo anualmente.
No Brasil, 10 pessoas morrem por hora por causa do cigarro (80 mil por ano).
O fumo é responsável por 30% das mortes por câncer e 90% das mortes por câncer do pulmão.

Cigarro light
Quando cigarros industrializados ou de fumo-de-rolo, cachimbos e charutos são acesos, algumas substâncias são inaladas pelo fumante e outras se difundem pelo ambiente. Todas as formas de uso do tabaco, inclusive os cigarros com mentol, filtros especiais, com baixos teores, têm uma composição semelhante, não havendo, portanto, cigarros “saudáveis” ou cachimbos e charutos que façam menos mal.

Fumaça do cigarro
A fumaça do cigarro contém ciliotoxinas (e mais de 5 mil elementos diferentes) que produzem irritação dos olhos, naris e garganta.
A nicotina é considerada droga pela OMS, aumenta a freqüência cardíaca e com o monóxido de carbono leva à arterosclerose, doenças cardiovasculares, úlcera gástrica e enfisema pulmonar.

Crianças fumam por tabela
Fumantes passivos morrem duas vezes mais por câncer de pulmão do que as pessoas não submetidas à poluição tabágica ambiental. As crianças, principalmente as de baixa idade, são prejudicadas em sua convivência involuntária.

Benefícios imediatos
Após 8 horas sem fumar, o nível de oxigenação na circulação sangüínea começa a se equilibrar.
Depois de 24 horas, diminui o risco de um ataque cardíaco.
72 horas após ter parado de fumar, a capacidade pulmonar aumenta em até 30%.

Deixar de fumar só depende de você.

sexta-feira, 29 de maio de 2009

Bah, mas que bela prova, tchê!!


Breve relato da 26ª Maratona de Porto Alegre, que aconteceu em 24/05/2009.

por Alcides Granziera Jr.

Da Run For Life, fomos apenas eu e o Egídio Gonçalves. Companheirão. A organização da prova foi exemplar. Fomos recepcionados no aeroporto, transladados para retirada do kit da prova e novamente transportados até o hotel, assim como levados ao aeroporto no domingo. Pessoal boa gente, solícito, aberto às nossas brincadeiras, “tri”.

Como estávamos hospedados próximos à largada, fomos ao final da tarde fazer o reconhecimento da arena e buscar informações sobre o jantar de massas, que iria acontecer no Galpão Crioulo, localizado no Parque Harmonia.

No jantar, tivemos uma idéia da prova, conversando com os corredores. Muita gente. E gente boa de tempo. Curiosidade: um casal que conhecemos na mesa e foi matéria na mídia local, correu / caminhou a prova toda de mãos dadas, só mudavam de lado.

Expectativa e ansiedade na véspera, mas com a certeza de ter feito um treinamento adequado para o desafio, ministrado pelo nosso mestre Wanderlei de Oliveira.

“Ganhamos nos pelegos” às 9h00 e às 5h15 já estávamos no café, excelente por sinal. Os hotéis da rede Máster, conveniados com a organização da prova, têm uma ótima relação custo-benefício.

Vamos à prova. Largada às 7h15 para a maratona masculina e revezamentos.

A regata já estava suada pelo aquecimento e a temperatura quando nos posicionamos no “curral” de largada. Antevemos dificuldades para o final, inclusive com o sol já mostrando a cara.

Dois minutos para pisar no tapete de cronometragem e vamos nós. Um único afunilamento nos fez passar o 1º km a 5:20. Pensamos manter o ritmo próximo dos 5:00/km e tivemos pequenas variações em torno da meta, “juntando o torresmo” para o final.

O percurso novo e bonito, pela área central, passando por locais tradicionais e pela arena da prova, deu mais ânimo aos participantes, porém incluiu aclives não existentes nas edições anteriores.

Mantendo o “pace”, deixamos a área central para a margem do Guaíba lá pela Meia (01:46:53).
Muito diferente de nosso Tietê, a margem do Guaíba não tem mau cheiro e é larga e urbanizada. Ótima opção para lazer e práticas esportivas da população.

Com o percurso aberto, o sol começou a incomodar, porém os postos de hidratação, 20 ao todo, distribuídos adequadamente ao longo do percurso, com água de fresca a gelada, além de isotônico, amenizaram o calor. Ponto para a Organização da CORPA, muito bom!

“Riscamos estrada” juntos até o km 32 aproximadamente, quando “fiz fumaça”. Estava com um pouco mais de rodagem.

Zona sul da cidade, grandes mansões, área muito bonita, arborizada e mais alguns aclives. O ritmo caiu. O trecho final na avenida do Guaíba foi o mais difícil, pelo cansaço acumulado e o calor de 24°, temperatura que parecia maior. “Largar a mão”, nem pensar.

Esperávamos fazer a prova com 13° e tempo nublado.

A CORPA entregou no kit e exigiu a colocação no peito e costas de dois “number plates” com o nome dos participantes. Com isso a interação entre os corredores e os (poucos) expectadores foi incentivada. Falamos bastante com nossos pares, chamando-os pelo nome, como velhos
conhecidos comentando a empreitada. Bela iniciativa.

Finalizamos aplaudidos pelos presentes próximos a chegada, com satisfação e alegria muito grandes.

Tempos de 3:35:41 (05:07/km) e 3:44:12 (05:19/km), respectivamente. Acima das metas do mestre WO, porém com a certeza de termos “forcejado nas quartas”.

“Cuia curtida, mate bom”. Vamos treinar gente!!

quinta-feira, 28 de maio de 2009

Maratoninha de São Paulo


Maratoninha de São Paulo reúne mil atletas neste sábado


Prova terá corredores de 6 a 15 anos, em cerca de 50 baterias, no Parque das Bicicletas


A Maratoninha de São Paulo Corrida Infantil, uma das novidades do calendário nacional do atletismo, reunirá mil corredores de 6 a 15 anos em cerca de 50 baterias, a partir das 9 horas de sábado, no Parque das Bicicletas, no Ibirapuera. O grande objetivo do evento é despertar o interesse pelo esporte em crianças e adolescentes.As provas começarão com atletas mirins de 6 anos e seguirá na ordem crescente de idade até os últimos, de 15 anos. Os corredores de 6 e 7 anos disputarão provas de 50 metros; os de 8 e 9, 60m; os de 10 e 11, 80m; os de 12 e 13, 100m; os de 14, 300m; e os de 15 anos, 600 metros.O Centro de Excelência do Ibirapuera, uma parceria do Governo do Estado com o Instituto Memorial Salto Triplo, ligado à Federação Paulista de Atletismo, terá 30 representantes na competição. O ex-triplista Anísio Souza e Silva, medalha de prata no Pan-Americano de Havana, em 91, destaca a participação de duas atletas mirins: Andressa Moreira, de 14 anos, e Natasha Diniz, de 15."A Andressa é velocista e saltadora e Natasha faz barreiras e triplo”, explicou Anísio, que há 4 anos trabalha como professor de crianças e adolescentes no Centro de Excelência do Ibirapuera e na Favela Paraisópolis.Os inscritos e seus responsáveis deverão retirar os kits de participação nesta quinta e nesta sexta-feira, das 12 às 20 horas, no Ginásio Poliesportivo Mauro Pinheiro, no Ibirapuera (Rua Abílio Soares, 1.300). O Parque das Bicicletas fica na Avenida Iraé, 35, no Ibirapuera, e a competição será disputada um dia antes da 15ª Maratona Internacional de São Paulo.Todos os atletas mirins que completarem a distância dentro do tempo máximo estipulado receberão medalhas de participação. Haverá cerimônia de pódio e entrega de troféus apenas nas categorias de 14 e 15 anos, masculino e feminino.A Maratoninha de São Paulo Corrida Infantil tem organização da Yescom, com patrocínio da CAIXA e apoio de Montevérgine, Café 3 Corações e HCor e apoio especial da Prefeitura de São Paulo e do governo do Estado de São Paulo. A supervisão será da Confederação Brasileira de Atletismo e Federação Paulista de Atletismo.

Mais informações no site http://www.maratoninhadesaopaulo.com.br/


ZDL COMUNICAÇÃO

segunda-feira, 25 de maio de 2009

Resultado do teste de 3.000 metros


Confira aqui o resutado do teste de 3.000 metros, realizado na pista de atletismo do Constâncio Vaz Guimarães.

Performance
Abimael Alves Ribeiro, 23 - 10:23 / 03:28
Josinaldo Soares Ferreira, 33 - 10:36 / 03:32
José Vicente Sobrinho 43 - 10:44 / 03:35
Willian dos Santos Pontes, 40 - 10:53 / 03:38
Ana Luiza dos Anjos Garcez, 46 - 11:18 / 03:46
Nilton Eduardo Maia, 34 - 11:22 / 03:47
Marcelino José Rodrigues, 51 - 11:28 / 03:49

Advanced
Oliver de Paula, 36 - 11:55 / 03:58
Wanderlei de Oliveira, 49 - 11:55 / 03:58
Carlos Mateus, 34 - 12:18 / 04:06
Paulo Fernandes, 44 - 12:21 / 04:07
Pedro Henrique Boccagini, 38 - 12:25 / 04:08
Paulo Moraes, 37 - 12:27 / 04:09
Vinicius Sá, 46 - 12:28 / 04:09
Judimar Messias dos Santos, 47 - 12:36 00:04:12
Patricia Rodrigues Vismara, 33 - 12:44 / 04:15
Valdomiro Cocato, 68 - 12:46 / 04:15
Jaime Ferrari, 49 - 12:57 / 04:19
José Carlos Romanholi 50 - 13:09 / 04:23
Marco Aurélio Lacerda 35 - 13:27 / 04:29

Running
Fernanda Paradizo, 42 - 13:37 / 04:32
João Ambrosano, 51 - 13:41 / 04:34
Oswaldo Silveira, 79 - 14:00 / 04:40
Marcos Sá, 47 - 14:00 / 04:40
Carlos Quintal, 35 - 14:08 / 04:43
Benjamim Irineu Carvalho, 32 - 14:12 / 04:44
Adriano Bertolazzi, 35 - 14:13 / 04:44
Renata Barquilla, 27 - 14:13 / 04:44
Luciano Baroni, 40 - 14:28 / 04:49
Alexandre Baroni, 43 - 14:29 / 04:50
Ailton Bezerra, 14:30 / 04:50
Wilson K. Amarante, 51 - 14:31 / 04:50
Edmilson Calixto, 39 - 15:00 / 05:00
Mauricio Sarilho, 45 - 15:00 / 05:00
Leandro Rodrigo, 26 - 15:13 / 05:04
Tereza Alves Moreira, 62 - 15:36 / 05:12
Adriana Misae, 38 - 15:37 / 05:12
Minoru Agena, 53 - 15:47 / 05:16
Hideo Koga, 55 - 16:15 / 05:25

Basic run
Andrea de Oliveira, 23 - 17:13 / 05:44
Carlos Alberto Pires Cavalcante, 63 - 17:13 / 05:44
Silvana Franzoi, 45 - 17:13 / 05:44
Arnaldo Rodrigues, 35 - 17:35 / 05:52
Anita Tanaka, 62 - 18:10 / 06:03
Ivone Fernandes, 67 - 18:27 / 06:09

Jogging
Mitico Nakatami, 77 - 18:34 / 06:11
Edson Lugli, 44 - 21:03 / 07:01
Marcio Leonel. 56 - 21:03 / 07:01
Claudia Miranda, 34 - 21:06 / 07:02

Walk For Run
Solange Davi. 46 - 21:51 / 07:17
Eduardo Pires, 60 - 22:07 / 07:22
Sergio Prado, 34 - 22:22 / 07:27
Luciane Anacleto, 30 - 23:41 / 07:54

Fitness Walking
Arlete Messias, 48 - 24:52 / 08:17
Michele Cheida , 33 - 24:52 / 08:17
Lucilia Albertini, 57 - 26:44 / 08:55

terça-feira, 19 de maio de 2009

Auxílio luxuoso


por Adriana Marmo


Foi um domingo de festa e valeu esperar tantos anos para conseguir correr os 10 km da Tribuna de Santos. Bati meu recorde pessoal: superei a distância em 57´12. Mas o bom resultado não foi sorte ou um mero acaso. Apostei firme na dupla treino + alimentação e contei com o auxílio luxuoso de várias pessoas. É claro que o astral da prova também deu um empurrão.

Esta 24ª edição da tradicional corrida da baixada santista teve uma inovação muito bacana: os supercoelhos, atletas de elite que puxaram ritmos variados. Para mim foi uma alegria (e uma boa dose de tietagem) correr os dois primeiros quilômetros com os olhos grudados no boné preto e amarelo do Vanderlei Cordeiro. Mas, na quarta-feira anterior a este domingo tive o meu supercoelho particular. O Nilton Maia se ofereceu para me acompanhar em meu último tiro de mil. Topei na hora. Ele foi falando o tempo todo: “olhe para frente”, “esqueça o relógio, ouça o seu corpo”, “não pense, deixe o seu corpo levar a sua mente”. Além de fazer o tiro em 4´59, um tempo impensável para mim, todas as frases ditas por ele naquela manhã viraram uma espécie de mantra nos dois quilômetros finais da corrida, que não por acaso foram os mais rápidos. Valeu, amigo!

Ao cruzar a linha de chegada eu estava ótima como nunca me senti em outra corrida. É que há pouco mais de dois meses passei a comer mais e melhor, conforme as orientações do nutricionista Faissal Kabab, que de tão apaixonado que é pelo que faz me ligou no sábado para combinarmos os últimos detalhes da minha alimentação e ainda fez questão de, no domingo, estar na linha de chegada para comemorar a nossa vitória. Assim como lá estava o Wanderlei de Oliveira, que ao lado da Monica Peralta, é outro de quem tenho um auxílio luxuosíssimo há mais de dez anos. Até minha irmã, que tem maratona abaixo das 4 horas, estava lá e ficou toda pimpona com o meu tempo.

Enquanto esperávamos a premiação, aproveitei para tietar os atletas que passavam e paravam para “pedir a benção” ao Wanderlei. Um deles foi o angolano João N’tyamba, tricampeão consecutivo da prova e este ano um dos ilustres ritmistas. Naquela hora me lembrei que até com o auxílio dele eu já pude contar há cerca de dois anos. Estávamos na pista do Constâncio fazendo alongamento depois de um treino e eu reclamava para a Mônica de uma dorzinha na lombar. Ele ouviu e me ensinou a fazer um alongamento megamaluco cheio de torções que eu nem consigo reproduzir. Acompanhei com certo medo e até senti um estalo, mas a tal dorzinha sumiu para sempre.

Eu e minha amiga Sirlei, que começou a correr há quase um ano e é uma das mais entusiasmadas que conheço, voltamos para São Paulo felizes e orgulhosas (ela também bateu seu recorde pessoal), prontas para encarar nossa maratona semanal de organizar a vida de filhos, marido, animais de pequeno porte, trabalho e treinos. E depois ainda dizem que corrida é um esporte individual.
________________
* Adriana Marmo é maratonista, jornalista e editora da revista Manequim, da Abril

crédito foto: Patrícia Vismara

Destaques Run For Life nos 10 km Tribuna FM


A 24a. edição dos 10 km Tribuna FM de Santos, condiderada a prova mais rápida do Brasil, reuniu na manhã de domingo, dia 17 de maio, 15 mil corredores.

O maître Oswaldo Silveira, de 79 anos, foi o segundo colocado na categoria 75-79 anos com o tempo de 51 minutos. O vencedor da categoria foi José Felix, que concluiu os 10 km em 49min51seg. Essa foi a décima participação do maître na competição, que venceu seis vezes a prova e foi quatro vezes o segundo colocado.

Outro destaque da equipe foi Vera Alice Silva, de 65 anos, ex-atleta e especialista em 100 e 200 metros, que fechou a prova na segunda colocação da categoria 65-69 anos nessa que foi sua sexta participação na prova. A atleta, que é a atual recordista sul-americana dos 21 km (1h39), é tetracampeã nos 10 km da Tribuna FM.

Luiz Gonzaga Carvalho, de 68 anos, conhecindo como "Pato" entre os amigos de corrida, conquistou a terceira colocação na categoria 65-69 anos, fechando o percurso em 43 minutos. A exemplo de Verinha, Pato, que recentemente passou por uma cirurgia no joelho, também é recordista sul-americano de sua categoria nos 21 km, com o tempo de 1h23, conquistado em Buenos Aires em 2003. Na prova da Tribuna, ele já foi três vezes campeão.

A equipe Run For Life marcou mais uma vez presença na prova santista e os atletas foram acompanhados pelo técnico Wanderlei de Oliveira, que festejou seu melhor resultado na temporada, com 41 minutos em sua 24a. participação consecutiva na prova. Cláudio Ribeiro, vencedor da primeira edição em 1986, era treinado por Oliveira.

Foto crédito: Patricia Vismara

domingo, 17 de maio de 2009

Marilson Gomes é tetra nos 10 K Tribuna



Marilson Gomes é tetra e queniana bate o recorde no 24º 10 KM Tribuna FM

Maior nome do atletismo brasileiro na atualidade, o brasiliense Marilson Gomes levantou a grande torcida pelo percurso para comemorar o tetracampeonato no 24º 10 KM Tribuna FM, uma das cinco maiores corridas de rua do País, que reuniu 15 mil atletas em Santos, na manhã deste domingo (dia 17). O bicampeão da Maratona de Nova Iorque correu isolado na frente praticamente toda a prova e cruzou a linha de chegada em 28 minutos e 16 segundos.

Entre as mulheres, a queniana Eunice Jepkirui Kirwa foi a mais rápida, com direito a novo recorde, com 32m52s, superando em cinco segundos a marca da equatoriana Marta Tenório, conquistada em 1998. A paranaense Luzia de Souza Pinto ficou em segundo lugar e também bateria o recorde em um segundo, com 32min56s, numa chegada emocionante, para empolgar o público.

Como prêmio, os dois campeões receberam R$ 25 mil, cada um, de um total de R$ 120 mil, divididos aos 20 melhores do masculino e do feminino. A competição, disputada sob sol e uma temperatura amena, novamente foi consagrada pelo alto nível técnico, aliado à festa da população, tanto na torcida, sobretudo nos dois últimos quilômetros, na orla da praia, quanto entre os amadores, como os famosos pelotões, grupos uniformizados de empresas e academias, promovendo um colorido especial e muita animação.

Outra grande atração foi a participação de figuras históricas do evento, atuando como 'marcadores de tempo', correndo junto aos amadores para ajudar na conquista das marcas. O mais badalado, sem dúvida, foi Vanderlei Cordeiro de Lima, bronze na maratona da Olimpíada de Atenas e recordista da prova santista desde 1997, com 28min01s. Ele "puxou" os atletas para 50 minutos e levou uma pequena multidão ao seu redor.

Também foram marcadores o angolano João Ntyamba, único tri consecutivo da prova (40 minutos), Ronaldo da Costa, que já foi recordista mundial da maratona e bi em Santos (45 minutos), Ednalva Lauriano, a Pretinha, tetra na disputa santista (55 minutos) e Valmir Nunes, bicampeão mundial dos 100 km (60 minutos).

ELITE - Mas o ponto forte mesmo foi a disputa da elite. Na feminina, a queniana Eunice Kirwa já saiu na frente e manteve a ponta até o final. Motivada pela torcida, Luzia vinha atrás e nos 300 metros finais tentou "virar o jogo", chegando apenas quatro segundos atrás. Após cruzarem a linha de chegada, as duas atletas se ajoelharam para descansar e comemorar o feito. A piauiense Cruz Nonato da Silva ficou em terceiro, com 33min28s. "Eu não esperava esse recorde. Essa prova é fantástica, principalmente pelo público, que é muito feliz, ajuda bastante. Com certeza, quero voltar no próximo ano para essa corrida", afirmou Eunice, que está com 25 anos e tem como melhor marca na carreira 32min22s, no Canadá, em 2006.

Para Luzia, o vice teve um sabor todo especial. "Eu não estou acreditando. Vim com o objetivo de correr entre 33min10s e 33min30s. Na hora que começou a prova, me senti bem, segui a Eunice e fui com ela até o km 7. Daí, ela abriu e quando chegou na reta final, o povo começou a gritar, tentei passar, mas ela é muito experiente e não deu. O mais importante é que fiz um ótimo tempo nessa prova, que é a melhor do País", afirmou. "Sem dúvida, foi o meu melhor resultado até hoje", completou.

MARILSON - Já entre os homens, Marilson confirmou o favoritismo, sem dar chances aos rivais. Em sua primeira corrida de rua após o bicampeonato na Maratona de Nova Iorque, em novembro passado, ele correu com o grupo da frente até o km 2 e depois começou a abrir vantagem. O segundo colocado, o queniano Biwott Stanley chegou 41 segundos depois (28min57s), seguido de seu compatriota, Emmanuel Bett (29min00s)."Quando vi que abri uma distância segura, comecei a administrar, porque estava com certo receio. Não sabia o quanto poderia suportar. Eu poderia puxar o começo e errar no final. Procurei controlar um pouco o ritmo, porque a prova estava muito forte", explicou o tetracampeão.

Apesar de chegar perto do recorde da prova (ficou apenas 15 segundos atrás), ele ressaltou que fez o máximo na ocasião. "Fiz o que podia", justificou, elogiando muito a prova. "Com certeza, é a melhor do Brasil. Todo mundo que conheço confirma isso. Quando as inscrições abrem, todos querem logo garantir vaga", destacou."Durante todo o percurso o pessoal vem me incentivado, gritando o meu nome. Para mim, é como se estivesse em casa mesmo. Sou sempre muito bem recebido. Para mim, é um prazer muito grande correr aqui. Ainda mais garantindo o tetra", afirmou Marilson, que comemorou o resultado ao lado da esposa, a também corredora Juliana Gomes, ouro no Pan Rio 2007, nos 1.500 metros.

Marilson já destacou que pretende voltar em 2010 para tentar o pentacampeonato. Se depender de retrospecto, a vantagem é imensa para o novo feito. Em oito participações, foram quatro vitórias, três vices e um terceiro lugar. "Fiquei muito feliz mesmo com a vitória. Mas, às vezes, a gente se surpreende. Treino é uma coisa, competição é outra", relatou o corredor, que agora se prepara para o Mundial de Maratona, em Berlim. "Nova Iorque este ano vai depender de como vou me recuperar de Berlim", revelou.

VANDERLEI - Mesmo longe da briga pela vitória, quem também foi muito badalado, antes, durante e após a corrida foi Vanderlei Cordeiro de Lima. Todos queriam tirar fotos, abraçá-lo, dar parabéns. E com muita humildade e simpatia (o mesmo ocorreu com Marilson), ele sempre retribuiu. "Estou super feliz pelo reconhecimento do meu trabalho. Muito grato à organização por este presente e à esta nação maravilhosa. Para a gente é um calor humano maravilhoso. Foi muito bom participar e estar junto ao público. Parei de ser profissional, mas nunca vou parar de correr", relatou, descrevendo a nova experiência. "Correr lá atrás é uma sensação muito grande. É um mundo totalmente diferente do atleta de alta performance e muito gostoso para curtir", argumentou.

O 24º 10 KM Tribuna FM também teve como destaque atrações musicais, como o DJ Breno, e a Banda Mecânica, ao longo do percurso e uma das novidades, a transformação do túnel em uma danceteria para alegrar os corredores antes mesmo do primeiro quilômetro. O jubileu de prata dos 10 KM Tribuna FM está confirmado para o terceiro domingo de maio de 2010. "Novamente tivemos um grande sucesso e a população de Santos, seja na torcida ou entre os amadores, está de parabéns por esta festa sensacional", afirmou o diretor-presidente de A Tribuna, Marcos Clemente Santini. Os resultados completos do 24º 10 KM Tribuna FM estarão disponíveis no site www.triesportes.com.br.

MASCULINO
1 Marilson Gomes dos Santos 28min16s
2 Biwott Stanley Kipleting (Quênia) 28min57s
3 Emmanuel Kipkmmei Bett (Quênia) 29min00s
4 Paulo Alves dos Santos 29min11s
5 Damião Ancelmo de Souza 29min23s
6 Luis Paulo da Silva Antunes 29min28s
7 Daniel Lopes Ferreira 29min29s
8 Reginaldo Campos Júnior 29min31s
9 Francisco Barbosa dos Santos 29min31s10 Willian Salgado Gomes 29min38s
11 Joseph Kibiwott Ngetich (Quênia) 29min48s
12 Santiago Casco 29min49s
13 Robson Pereira de Lima 29min52s
14 Gilberto Silvestre Lopes 29min55s
15 Giovani de Jesus Santos 29min57s
16 Marcos Alexandre Elias 30min01s
17 Lindomar Modesto de Oliveira 30min04s
18 Cristiano da Silva Machado 30min08s
19 Jose Magno dos Santos Mota 30min11s
20 Claudenir da Silva Cardoso 30min13s

FEMININO
1 Eunice Kirwa (Quênia) 32min52s
2 Luzia de Souza Pinto 32min56s
3 Cruz Nonato da Silva 33min28s
4 Edielza Alves Guimarães 33min47s
5 Milka Jerotich Kipker (Quênia) 33min54s
6 Maria Zeferina Baldaia 33min59s
7 Sueli Pereira da Silva 34min06s
8 Tatiele Roberta de Carvalho 34min37s
9 Bertha Sanches (Colômbia) 34min43s
10 Ednah Mukhwana (Quênia) 34min47s
11 Conceição Maria C. Oliveira 34min49s
12 Adriana Aparecida da Silva 34min51s
13 Rosângela Raimunda P. Faria 34min56s
14 Josiane da Silva Cardoso 35min06s6
15 Márcia Narloch 35min16s
16 Noeme Maria Pereira 35min39s
17 Sirlene Souza de Pinho 35min43s
18 Beatriz G. S. Nascimento 35min44s
19 Dione D'Agostini Chillemi 36min07s
20 Flaviana Ferreira Chung 36min14s


Foto crédito: FERNANDA PARADIZO

sexta-feira, 15 de maio de 2009

10 KM Tribuna FM


Revelação de Angola quer seguir os passos de Ntyamba
e é destaque no 24º 10 KM Tribuna FM, neste domingo

Revelação do atletismo de Angola, Tiago Baptista será um dos destaques internacionais do 24º 10 KM Tribuna FM, uma das cinco maiores corridas de rua do Brasil, neste domingo (dia 17), em Santos. A prova, que reunirá 15 mil atletas, incluindo os principais nomes do País, como Marilson Gomes, bicampeão da Maratona de Nova Iorque e outras feras do exterior, sobretudo do Quênia, tem início às 9 horas no Centro, com a chegada na Praia do Gonzaga, sendo os dois últimos quilômetros pela orla, e um grande público.
Apadrinhado por ninguém menos que João Ntyamba, que fez história mundial nas corridas, ao disputar seis olimpíadas, e também ser o único tricampeão consecutivo dos 10 KM Tribuna FM, em 2000, 2001 e 2002, Tiago é a esperança de seu país para os Jogos Olímpicos de 2012, em Londres. Em Santos, a expectativa é ganhar experiência, mas ele não descarta “beliscar” o pódio.
Quem fala por ele é o padrinho Ntyamba, sem dúvida um atleta muito querido em Santos e que também participará da prova, mas desta vez sem brigar por vitória. Ele será um dos marcadores de tempo, função para “puxar” os amadores, completando a prova em 40 minutos. Sobre Tiago, o tricampeão mostra muito otimismo. “Ele está treinando na Etiópia e temos fé que pode fazer uma prova muito boa”, afirmou Ntyamba, que deve orientar o atleta para o ciclo até Londres 2012.
Sempre bem humorado, Ntyamba não se cansa de elogiar o convite para ser marcador de tempo, iniciativa que também contará com ícones como Vanderlei Cordeiro de Lima (50 minutos), Ronaldo da Costa (45), Ednalva Lauriano, a Pretinha (55) e Valmir Nunes (60). “Com certeza, vou terminar a prova muito emocionado. Essa prova é sensacional, com muita gente bonita, alegre. Todos se comprometendo em buscar saúde”, afirmou.
O atleta também atua como uma espécie de embaixador do atletismo em Angola, por tudo o que representa em seu País. “O meu governo está apostando no meu projeto de consolidação do atletismo. Vamos trabalhar para que este sonho se torne realidade. Angola é um país de gente com muita criatividade e sonhadores. Eu faço parte desse leque de gente com vontade de vencer”, argumentou.
PREMIAÇÃO – Com o percurso ao nível do mar, totalmente plano e com grandes retas, a prova é propícia a grandes marcas pessoais. A participação popular, com os “pelotões”, grupos uniformizados de empresas e academias, também chama a atenção.
O público também prestigia os atletas ao longo do trajeto, sobretudo nos dois últimos quilômetros, na orla da praia. Outro atrativo do 24º 10 KM Tribuna FM é a premiação de R$ 120 mil, aos 20 melhores do masculino e feminino, com R$ 25 mil aos campeões.
A largada é realizada no Centro de Santos, em frente ao prédio de A Tribuna, e a chegada na Avenida da Praia, junto à Praça das Bandeiras, no Gonzaga. Os atletas deficientes físicos e visuais e cadeirantes começam a competir às 8h30. A elite feminina terá início às 8h45, enquanto que a elite masculina, os amadores (ambos os sexos) e caminhantes, às 9h.
Neste sábado, segue a entrega dos kits dos atletas em Santos, no Ginásio Rebouças, na Ponta da Praia, das 12 às 18h. O material, contendo número de peito, chip e camiseta, não será entregue no domingo. Informações sobre a prova no site www.triesportes.com.br e pelos telefones (13) 2102.7081/7136.


FMA NOTÍCIAS - FÁBIO MARADEI (MTB 22.214)
SITE: http://www.fmanoticias.com.br/

Foto crédito: WEBRUN (João Ntyamba)

quarta-feira, 13 de maio de 2009

IX Corrida e Caminhada Graac: Corrida contra o câncer infantil


A manhã do dia das mães na capital paulista começou com tempo encoberto e uma fraca névoa dando boa condição aos cerca de nove mil corredores animados para fazer a 9ª Corrida e Caminha Graac.

Às 6h30 a Assembléia Legislativa do Estado de São Paulo já estava tomada por atletas, que retiravam seus kits e iniciavam o aquecimento no entorno da largada.

O tiro de partida foi acionado pontualmente às 8 horas na Avenida Pedro Álvares Cabral, nas proximidades do Monumento das Bandeiras, e a passagem de todos os atletas durou quase nove minutos, num mar de gente gritando, concentrada e tentando correr, quem estava no meio do grande grupo.

Entre os corredores da elite, Francisco Barbosa dos Santos cruzou a linha de chegada com o tempo de 30min31seg. O segundo colocado foi Célio Falcão, que cruzou com 30min32seg. O pódio teve ainda a presença de José Rodrigues dos Santos (30min48); Adriano Bastos (30min58) e Carlos Moreira dos Santos (31min06seg).

No feminino, a campeã foi Flaviana Ferreira Chung com o tempo de 36min57seg, seguida de Elizabeth Esteves de Souza, 37min59seg e Angelina das Graças Rafael finalizando em 38min22seg.

O que mais importa entre os participantes desta corrida é sua preciosa contribuição à causa do Graac, hospital que trabalha no tratamento de crianças com câncer. Só por isso já valem todos os tempos atingidos e a Run For Life faz questão de prestigiar esse evento pela magnitude e alcance que tem.


Equipe Run For Life

10 km
Classificação masculina
Josinaldo Soares Ferreira, 38min18seg
Jose Cassio de Oliveira dos Santos, 38min27seg
Edson Stéfano, 38min49seg
Wilian dos Santos Pontes, 39min51seg
José Nildo Lopes Sobrinho, 41min02seg
Wanderlei de Oliveira, 42min15seg
Marcelino José Rodrigues, 42min37seg
Alcides Granziera Junior, 43min12seg
Paulo de Moraes Barros, 43min26seg
Pedro Henrique Boccagini, 46min20seg
Valdomiro Paulo Cocato, 46min21seg
Raul Chavarria, 46min58seg
Francisco Ferreira de Lima Filho, 48min30seg
Paulo César Lino Coutinho, 50min28seg
Paulo Pardinho, 52min00seg
João Carlos Ambrosano, 53min13seg
Marvio Sander Cardoso, 54min01seg
Marco Antonio da Silva Pereira, 54min29seg
José Vitiello, 55min11seg
Wilson Kirschner Amarante, 55min28seg
Alexandre Effori de Mello, 56min19seg
Leonardo Elias Rodrigues de Melo, 57min48seg
Jacob Nahmias, 01h01min50seg
Carlos Pimentel Galuppo, 01h02min25seg
Henrique Lederman, 01h02min28seg
Carlos Alberto Pires Cavalcanti, 01h02min52seg
Hideo Koga, 01h06min35seg
Eckhard Ernst Kupfer, 01h07min05seg
Wagner José Limongelli, 01h08min12seg

Classificação feminina
Ana Luiza dos Anjos Garcez, 43min54seg
Patricia Rodrigues Vismara, 47min25seg
Cristiane Midori Takagui, 53min08seg
Vera Alice Silva, 55min11seg
Aparecida Fátima dos Santos, 54min30seg
Andrea de Oliveira, 01h05min14seg
Silvana Franzoi, 01h05min16seg
Ivone Fernandes Ramos, 01h07min51seg

4,3 km
Flávio A. Fleury -18min59seg
Yasuhiro Tahara - 38min22seg
Danilo Barsotti Bonamini - 39min59seg
Jackelyne Cristina Reis - 43min50seg
Sandra Ap. Dalla Valle Bonamini - 44min32seg
Lucilia Alberti - 46min59seg

Clique aqui para ver as fotos da equipe Run For Life

Por Arnaldo Francisco de Sousa, jornalista e corredor
Foto: Caetano Berreira/Corpore - Largada Graac 2009

quarta-feira, 6 de maio de 2009

Respiração uma fonte de energia


Como a respiração pode ajudar na performance de um atleta?


Hoje em dia, milhões de pessoas não sabem da importância da respiração e acabam respirando de uma forma inadequada, podendo até enfraquecer os músculos do tórax, diafragma e costas.
São cinco as principais fontes de energia à nossa disposição: os alimentos, o ar, a água, o sono e o Sol.
A respiração ocorre como resultado de um esforço muscular, recebendo oxigênio “puro” e livrando-se do gás carbônico e da água.
Nós inspiramos e expiramos cerca de 16 vezes por minuto, absorvendo uma média de 0,5 litro de ar de cada vez. Essa quantidade pode ser aumentada quando necessário, principalmente quando praticamos uma atividade física, segundo o American College of Sports Medicine realizado em Seattle 99, nos Estados Unidos.

O oxigênio entra no sangue e o dióxido de carbono passa para os pulmões, antes que o ar seja expirado.
A respiração profunda e ritmada é um sinal de descontração e também um sinal de saúde e bem-estar.

Quais os benefícios de uma respiração controlada e profunda?
· Limpar os pulmões dos produtos residuais do sangue desoxigenado
· Utilizar continuamente os vários músculos do tórax, diafragma e costas

Qual a forma correta de respirar?
A respiração adequada deve ser feita pelo nariz, o que significa que o ar é filtrado e aquecido antes de alcançar os pulmões.

Como relaxar com uma respiração natural e profunda?
Este é um dos mais simples e gratificantes exercícios de relaxamento que você pode fazer, quando estiver tenso, cansado, pela manhã ou mesmo antes de dormir.
· Deite-se no chão (superfície plana) e estique-se lentamente. Mantenha as pernas e os braços afastados do corpo e as palmas voltadas para cima. Imagine por um momento algo agradável e tranqüilizante (as ondas do mar, uma música, um jardim com flores).
· Sinta o ar em cada inspiração entrar pelo nariz levando pureza, energia e saúde para dentro de você até o abdome. Ao expirar pelo nariz, você sentirá o relaxamento total do corpo.
Deixe cada respiração tornar-se mais profunda e lenta (segure a respiração de 3 a 6 segundos).

· Repita este exercício 10 vezes (se possível duas vezes ao dia) para relaxar e ter uma ótima saúde.