quinta-feira, 29 de maio de 2008

RFL mantém a tradição e participa da 25ª Maratona gaúcha



Todo gaúcho que se preze, mantém suas tradições. Aquele que for ao Rio Grande do Sul e não participar de uma roda de churrasco com chimarrão, no Centro de Tradições Gaúchas (CTG), na verdade não esteve lá. E para manter a tradição, a Run For Life, equipe de corrida mais antiga de São Paulo, com 28 anos de estrada, esteve presente na 25ª Maratona de Porto Alegre.

A competição foi no último domingo, 25 de maio, em que os atletas Run For Life José Ribeiro Andrade (Juca) e Paulo Fernandes (Paulinho), participaram do desafio dos 42.195 metros na capital mais ao sul do país.

Como curiosidade, Porto Alegre, cuja área tem 496.827 Km2, está localizada junto ao Paralelo 30° sul, circundada por 40 morros e limitada por uma orla fluvial de 72 km. A cidade tem cerca de 1,5 milhão de habitantes.

Voltando à maratona, lá na frente, o vencedor masculino foi o potiguar José Pereira, do Rio Grande do Norte, completando a prova em 2h20min53seg. Entre as mulheres, a gaúcha Rosa Jussara levou o quarto título da Maratona, com o tempo de 2h44min.

“A prova, percurso e organização foram ótimos. Água a cada 3 km e vários postos de gatorade. Eu tinha um tempo de planilha que dizia média de 4:51/km. Eu acabei fazendo uma média de 4:54/km”, explicou Andrade ao relatar sua experiência no Sul. Juca bateu seu recorde pessoal, com doze minutos abaixo do tempo conquistado na Maratona de Paris, concluída em 3h38min. E 29 minutos (quase meia hora) a menos que sua primeira maratona, a de Chicago completada em 3h41minutos.

Porto Alegre tem a fama de ser uma maratona mais seletiva do ponto de vista do número de participantes, pois cerca de 3 mil corredores fazem a largada. Comparada com a maratona de São Paulo, cujo efetivo é de 14 mil maratonistas, é bem pequena.

“A corrida foi muito boa. Consegui manter o ritmo desejado e fiz a primeira meia em 1'43'02. Depois da minha parada no km 9 (para um pipi-stop), perdi um pouco o contato com o Juca, que deve ter aberto uns dois minutos. No km 31 minha esposa, a do Juca e os filhos estavam lá, gritando nosso nome. Isso foi muito bom e estimulante (depois ele dobrou em 1h43:45)”, comentou Paulo Fernandes que já participou da competição dos Pampas em 2006 e cravou o tempo de 3h29min06seg, três minutos acima da atual, mesmo com toda dificuldade e desgaste da prova. O recorde pessoal de Paulinho foi na maratona de Buenos Aires com o tempo de 3h23min.
Para piorar no esforço da prova, em meados de abril, Fernandes havia torcido o tornozelo mas milagrosamente conseguiu recuperar-se a tempo.

Juca fez uma meia um pouco mais rápido em 1h41:32’ (4’49” de média) e a segunda meia para 1h45:15 com 4’59” de média, fazendo seu recorde pessoal.

Fernandes, com sua parada, teve de fazer uma corrida de recuperação para alcançar Juca: “No km 34 voltei a visualizar o Juca. E não é que esse negócio de coelho funciona mesmo? Comecei a apertar e no km 41 cheguei. Se não tivesse esse objetivo, com certeza não teria feito o tempo. E nos últimos 500 metros ele deu um sprint fantástico. Pensei que não teria mais pernas para isso, mas não poderia deixar escapar a chance de chegarmos juntos. E também dei meu sprint final e chegamos no mesmo segundo”, enfatizou um entusiasta Paulinho.

Resultado oficial (corrido no tempo líquido):
José Ribeiro Andrade (Juca): 3h26min47seg (Recorde pessoal)
Paulo Fernandes (Paulinho): 3h26min47seg

Arnaldo de Sousa, jornalista e corredor
Foto: Arquivo pessoal dos corredores

2 comentários:

Anônimo disse...

O JUCA E O PAULO SÃO COMPANHEIROS ATÉ NOS RESULTADOS.
PARABÉNS PELA GARRA E EMPENHO NOS TREINOS.
OS ATLETAS DO QUÊNIA CHEGARAM AO NÍVEL ATUAL GRAÇAS A UNIÃO, ENTUSIASMO, PARCERIA NOS TREINOS E COMPETIÇÕES.

WANDERLEI DE OLIVEIRA

A C disse...

É muito bom ver nossos companheiros conseguindo resultados tão bons.
A maratona de Porto Alegre é muito boa. Recomento a quem procura uma boa prova.
Interessanto observar que ambos fizeram suas próprias corridas e terminaram o percurso juntos.
Parabéns !!!
A C Fiore